Conheça Célio Pompeu, meia cearense contratado pelo ST.Louis City, da MLS

Foto: Divulgação

Atleta de 22 anos jogou nas categorias de base do Ceará e jogará a MLS

No próximo sábado, 26, a Major League Soccer (MLS), principal campeonato de futebol dos Estados Unidos, terá mais uma edição iniciada. A competição, que conta também com times do Canadá, é considerada como a primeira divisão profissional da United States Soccer Federation, federação oficialmente membra da FIFA. O torneio, que é dividido em conferências, contará com 28 equipes neste ano.

A MLS é um campeonato que cresce cada vez mais no cenário do futebol mundial. A organização e altos salários, são atrativos para jogadores e empresário de destaque até no futebol europeu. Recentemente, Neymar, atacante do Paris Saint Germain, revelou interesse em jogar na liga americana. Messi, companheiro do jogador brasileiro no time Francês, é outro jogador que também já cogitou a possibilidade de atuar nos Estados Unidos. O ex-futebolista David Beckham, que atualmente é gerenciador do Inter Miami CF, foi um dos primeiros astros a disputar a competição, quando defendeu o Los Angeles Galaxy em 2007.

Cearense Célio Pompeu jogará a MLS em 2023 - Foto: Divulgação
Cearense Célio Pompeu jogará a MLS em 2023 – Foto: Divulgação

E é nessa liga que um atleta cearense tentará iniciar sua carreira no futebol profissional. Natural de Fortaleza, o meia Célio Pompeu foi anunciado pelo ST.Louis City no dia 7 de fevereiro. A equipe é uma franquia de expansão da Major League Soccer que deve começar a jogar apenas em 2023. Ao Portal Futebol Cearense, Célio falou sobre sua trajétoria até chegar ao ST.Louis e sua expecativa para jogar a MLS.

O atleta, que já atuou nas categorias de base do Ceará, conta como foi seu início no futebol, sua ida para os Estados Unidos e algumas curiosidades. Confira:

INÍCIO

Natural de Fortaleza, Célio tinha um hobby comum a quase todos os brasileiros. Desde criança, o cearense já sonhava em ser jogador de futebol. Com ajuda da família, o meia passou pelas categorias de base do Ceará e também do Botafogo-SP. O jovem conta como foi seu início no futebol:

“Sempre gostei de jogar bola com meus amigos na rua. Onde tinha espaço eu estava jogando, mas começou a ficar sério em 2009, quando eu fui para o Ceará. Fiz um teste e deu certo. Fiquei lá de 2009 a 2011. Joguei vários campeonatos pelo Ceará nessa época. Eu saí em 2011 por que tive que mudar para Ribeirão Preto. Minha mãe foi trabalhar lá e eu tive que me mudar. A sorte era que meu apartamento era a dois metros do estádio Santa Cruz, do Botafogo-SP. Eu tinha 11 anos. Minha mãe conseguiu um teste no Botafogo e na outra semana eu ja estava jogando lá. Passei 6 meses e voltei para Fortaleza. Joguei um Brasil CUP e Cearense pela FIC. Depois voltei para o Ceará e joguei campeonato sub-15 , o meu último por um clube no Brasil.

ESTADOS UNIDOS

Depois das oportunidades no futebol brasileiro, Célio contou com o apoio de Darlan Pontes e Lucas Procopio, ex profissionais do Ceará, para jogar nos Estados Unidos. O cearense fez parte de um projeto que leva jogadores para o país para jogar e estudar em alto nível. O jogador conta como foi sua chegada no país e a trajetória até chamar a atenção de times da MLS.

“Depois do Ceará já vim para os Estados Unidos. Darlan Pontes, que na época era preparador físico do Ceará, e o Lucas Procopio, estavam abrindo uma empresa para mandar atletas para os Estados Unidos, para jogar e estudar em alto nível. Como eu já estava meio largado nas escolas no Brasil, foi uma ótima ideia. Minha família amou essa oportunidade e deu tudo certo. No começo de 2016 eu me joguei. Vim para os Estados Unidos sem saber inglês. Passei oito meses só fazendo mimica, escutando o povo, respondendo sem entender nada…parecia um maluco. Pra você ver como é bom desde novinha estudar inglês, porque ai você não passa o sufoco que eu passei. Na segunda semana chegou um brasileiro na High School (colégio) que eu fui e ele me ajudou bastante. Melhorou muito porque eu sempre “colava” na dele”.

“St benedict’s é uma escola muito tradicional e na época que eu cheguei a base do Estados Unidos na época era High Schools, então tinha muito jogador bom. Lá você jogava metade do ano na high school e outra metade em outro time, como se fosse outro clube. Então eu joguei muitos campeonatos pelo clube. Joguei Dallas Cup, fui campeão. Cheguei em duas finais, perdi uma e ganhei outra. Mas é um campeonato muito grande que joga Manchester United, Liverpool, alguns times do Brasil , na época era Coritiba e Red Bull. Joguei durantes três anos e meio nessa High School e nesse time que era afiliado ao meu colégio. Ganhamos Dallas Cup, campeonato nacional, estadual, e eu me destaquei bastante nesses jogos. Consegui que várias universidades da divisão 1 queriam me dar bolsa. Univerdidade da Califórnia, Carolina do Norte, em qualquer canto que você imaginar. Eu acabei indo para Virgínia, começar na universidade de lá”.

Célio Pompeu atuando pela High School de Vírgina - Foto: Divulgação
Célio Pompeu atuando pela High School de Vírgina – Foto: Divulgação

“Nas faculdades aqui nos Estados Unidos pra você que tem bolsa de atleta é muito top. Uma estrtura fenomenal, estrutura de time de Série A. Os caras dão muito apoio, muito suporte, traz gente de todo canto…África, Europa, América do Sul. Meu primeiro ano na Virgínia eu me machuquei. No segundo ano teve covid. No terceiro ano foi o ano em que consegui jogar, me destacar e chamar atenção de alguns times. Até que eu fui o melhor jogador da minha conferência, melhor meio campo do ano. Fui convidado para ir para o Combine, da MLS, que é onde eles chamam os melhores jogadores das universidades dos Estados Unidos para participar de três dias de treinos e jogos. Todos os times da MLS fica assistindo. Treinadores, Assistentes, managers…

Acabei vindo para o ST Louis City, que é uma nova franquia. Eu não fui draftado. Assinei por fora. Eles vão entrar na MLS em 2023. Esse anos nós jogaremos a MLS Next Pro, que é como se fosse uma segunda divisão de preparação para a MLS”.

PRÉ-TEMPORADA

“Começamos a pré-temporada três semanas atrás. Estávamos na Flórida. Jogamos contra o Cincinati, que é um time que hoje joga o Brenner, que jogou no São Paulo. Também jogamos com o Philadelphia Union, time também da MLS. Jogamos contra um Menphis, time da USA Champioship, fiz até um gol e foi 1 a 1. Consegui fazer o primeiro gol da história do ST Louis City.Tinha muito torcedor lá, apesar do frio. Torceram, apoiaram o tempo todo, energia muito fera. A minha expectativa é dar o meu melhor esse ano. Trabalhar bastante. Melhorar nas coisas que eu tenho que melhorar. Fazer gol, dar assistência. Ajudar meu time dentro ou fora de campo da melhor forma e próximo ano jogar a MLS. Fazer tudo para crescer. O sonho é a Europa, jogar em um time grande da Europa. Sei que é um passo de cada vez, é díficil, tenho muito trabalho pela frente. Penso de passo a passo, todo dia trabalhando, que devagarinho as coisas acontecem. As expectativas são as melhores”, finalizou o cearense.

Confira um vídeo do jogador:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: