Marcelo Paz desmente rumores de que havia oferecido Boeck ao CSA: “Isso não é verdade!”

Foto: Fortaleza EC

Presidente do Leão esclareceu a história que circulou entre os torcedores envolvendo o goleiro e ídolo do Fortaleza, Marcelo Boeck, e uma possível transferência ao clube alagoano.

Na noite desta quarta-feira, 16, o Presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, por meio do seu Instagram, declarou publicamente que os rumores que estavam sendo noticiados a respeito do goleiro e ídolo do clube, Marcelo Boeck, e uma possível transferência para o CSA, na qual o próprio time cearense teria oferecido o arqueiro, não procedem. Após ser noticiado que Rafael Tenório, dirigente da equipe alagoana, teria dito que o jogador do Tricolor de Aço foi oferecido e que a negociação teria esbarrado em seu alto salário, boa parte da torcida do Leão se mostrou insatisfeita com a possível “desvalorização” de uma de suas maiores referências recentes dentro do campo.

No entanto, em resposta a um portal destinado ao Fortaleza, Paz fez questão de declarar a falsidade dos rumores. “Isso não é verdade! Ele (Rafael Tenório) me ligou no domingo se dizendo muito preocupado com a situação do time dele e perguntando se poderíamos ajudar com algum jogador, emprestar, dividir salário. Não foi oferecido nenhum jogador”, afirmou o presidente do clube fortalezense. “Sugiro que vocês tenham mais cuidado e zelo antes de publicar coisas que possam causar repercussão negativa no nosso clube. (…) Vocês amam o Fortaleza? Escutem antes de postar algo assim”, completou Marcelo, que ficou na bronca. A publicação em que houve a interação do dirigente do Leão com o portal foi excluída.

Anúncios

Marcelo Boeck é, atualmente, terceiro goleiro da equipe do Fortaleza, atrás de Felipe Alves, titular incontestável, e Max Walef, que vem marcando presença no banco de reservas. O próprio Marcelo Paz já declarou, inclusive, após ser perguntado sobre o porquê do gaúcho de Vera Cruz não estar mais sendo relacionado para as partidas e, ainda, sobre os pedidos da torcida tricolor para que ele jogue, que trata-se apenas de uma decisão técnica e profissional do treinador Rogério Ceni, a qual deve ser respeitada e entendida, e que não há nenhum imbróglio pessoal entre o goleiro e o ex-arqueiro, atual comandante do Leão dentro de campo.

Anúncios

Deixe uma resposta