Fernando Prass encara seu terceiro Clássico-Rei no ano de olho nas finais da Copa do Nordeste

Foto: Alexandre Lago

Prass destacou a importância do envolvimento coletivo na montagem do sistema defensivo da equipe.

“Vencer é algo que independe de dinheiro, independe da parte financeira. Isso fica gravado. No futebol, na realidade, quem faz história e quem é reconhecido é quem ganha”. A frase de Fernando Prass ilustrou exatamente o que representa pra ele e para o elenco a possibilidade de conquistar a Copa do Nordeste. O goleiro participou da entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira, 27, após o treino de apronto para o Clássico-Rei válido pelas semifinais da competição, que acontece nesta terça-feira, 28, em Pituaçu.

Um dos assuntos abordados foi a ausência do zagueiro Luis Otávio, expulso na partida diante do Vitória, no último sábado. O camisa “1” alvinegro, no entanto, não lamentou e fez questão de exaltar os outros defensores do elenco do “Vovô”.

Anúncios

“Aprendi uma coisa no futebol: a gente não pode valorizar quem está de fora, tem que valorizar quem está dentro. A gente tem ótimos zagueiros, ótimas opções e com todos os tipos de características. Lógico que a gente gostaria de ter todo mundo à disposição, mas no futebol um time vencedor se faz assim e temos que passar por cima de tudo isso”, destacou o arqueiro.

Prass está a caminho de seu terceiro Clássico-Rei e perguntado sobre o entendimento alvinegro referente ao rival, ele foi direto em destacar que há conhecimento sobre a forma de jogar dos comandados de Rogério Ceni. “Uma ou outra coisa pode mudar em relação a nome de jogador, mas a essência, principalmente do nosso adversário, que está com o treinador há mais tempo, a gente tem conhecimento”.

Jogador mais experiente do elenco e um dos grandes destaques da equipe, Prass está em visível ascensão com a camisa alvinegra e tem demonstrado isso principalmente em partidas decisivas. Ele fez questão de enfatizar que o grupo está acostumado a decisões e enfatizou os confrontos com o River do Piauí, Sport, Ferroviário, CRB e, por último, contra o Vitória.

Anúncios

Entrando no quesito decisão, a vaga para a final da Copa do Nordeste pode sair na disputa de pênaltis caso haja empate no tempo normal e pegar pênalti está entre as especialidades do veterano. Já na atual temporada, o goleiro ajudou a classificar o Vovô na Copa do Brasil ao pegar duas penalidades contra o Oeste, em São Paulo. Uma defesa aconteceu durante os 90 minutos, na cobrança de Bruno Paraíba, e a segunda na disputa dos penais, quando o arqueiro fez valer a fama e pegou a batida de Alyson.

“O goleiro tem que estar preparado pra tudo. Ele se prepara pra tudo e torce pra não precisar usar nada”, destacou o goleiro.

Prass destacou a importância do envolvimento coletivo na montagem do sistema defensivo da equipe. Ele fez questão de enfatizar que a contenção não deve ser atribuída a apenas um nome. “Quando a gente defende, defende com 11. É uma engrenagem, a defesa não são só os quatro da linha ou o primeiro volante. Hoje, no futebol moderno não dá pra separar uma partida por isso. Tem a fase com a bola e sem a bola. Sem termos a posse de bola, todos os jogadores têm uma função de marcação, uns mais avançados e outros menos”, disse.

Ceará e Fortaleza se enfrentam à partir das 21h30 desta terça-feira, em Pituaçu. Quem avançar encara o vencedor do confronto entre Bahia e Confiança.

Anúncios

Deixe uma resposta