Você sabia? Herói do título da Argentina na Copa do Mundo, goleiro Dibu Martínez tem sogra cearense

Foto: Reprodução/Twitter Oficial Emi Martínez (@emimartinez)

No último domingo, 18, a seleção da Argentina conquistou o título da Copa do Mundo. Em um jogo incrível, que para muitos já é considerado o maior e melhor da história do futebol, a Albiceleste venceu a França nos pênaltis após um empate por 3 a 3 com direito a gols no tempo normal e na prorrogação. O terceiro mundial dos “hermanos” teve muitos nomes de destaque. Se no ataque a equipe do técnico Lionel Scaloni foi liderada por Lionel Messi, melhor jogador do torneio e vice-artilheiro com 7 gols, na defesa a Argentina contou com as defesas do goleiro Emiliano Martínez, o “Dibu”, para avançar de fase e tirar o país sul-americano de uma fila que já durava 36 anos.

Titular do Aston Villa, da Inglaterra, aos 30 anos, Dibu foi determinante para o título da Argentina. Após a derrota para a Arábia Saudita na estreia da Copa, o goleiro assumiu protagonismo ao lado de Messi e brilhou nas quartas de final contra a Holanda, quando defendeu dois pênaltis na decisão. Porém, o grande momento de sua carreira certamente aconteceu no dia 18 de dezembro. Argentina e França empatavam por 3 a 3 na prorrogação da grande final, quando aos aos 17 minutos do segundo tempo, o francês Kolo Muani recebeu no campo de ataque, aproveitou a falha da defesa e finalizou forte. Dibu esticou os pés e fez uma defesa histórica, garantindo mais uma vez a decisão nas penalidades. Nas cobranças, o filme das quartas de final se repetiu. Defendendo uma penalidade e apenas observando a bola sair em outra, coube a Martinez torcer para seus companheiros converterem suas chances em gols para o goleiro sair de campo e entrar para a história. E foi o que aconteceu. Com 100% de aproveitamento nas penalidades, a Argentina conquistou o título e Dibu entrou de vez para a história do país.

DIBU MARTÍNEZ E A LIGAÇÃO COM O CEARÁ

Durante todo o perído que antecedeu a final entre Argentina e França, uma simples pergunta agitou os brasileiros que gostam de futebol: “Para quem você vai torcer?”. Para alguns, admitir torcida para a Albiceleste, que tem grande rivalidade com o Brasil, era uma espécie de traição. Para outros, o fato de desejar ver Messi conquistar o título mundial aos 35 anos era determinante para escolher um lado nesta partida. No entanto, para uma família em especial no Ceará, a vibração em jogos da seleção, agora tri campeã do mundial, tinha outro motivo: Dibu Martínez.

Nesta família, a torcida pela Argentina é fácil de explicar e nossa história começa agora com uma curiosidade: Você sabia que a sogra do goleiro da Argentina é cearense?

Martínez é casado e tem dois filhos com Amanda (Mandinha) Martínez. A designer de interior é filha de Regina Claudio, brasileira nascida em Jaguaruana, localizada no Vale do Jaguaribe, no Ceará. Regina foi morar em Londres para realizar um intercâmbio na Inglaterra, quando conheceu seu marido (Português) e Amanda é fruto do casal. Apesar de ter nascido no país Europeu, a esposa do arqueiro argentino se naturalizou brasileira, tem o passaporte dos dois países e já passou férias na terra natal da mãe.

O Portal Futebol Cearense conversou com a advogada Marina Machado, cearense que é prima de Mandinha e sobrinha de Regina Claudio. No bate-papo, Marina contou como Amanda conheceu Emiliano Martínez, como foi ver o goleiro na Copa do Mundo, falou sobre a visita à família do argentino em Londres e revelou ter comentado sobre duas notícias do Ceará, seu time do coração, com Dibu. Confira:

PERSONALIDADE

Se tem algo que chama a atenção dos torcedores, além de grandes defesas, quando Dibu Martínez está em campo certamente é sua personalidade. Com estilo autêntico e as vezes até provocador, Dibu passa a impressão para o público de ser uma pessoa “agitada”. No entanto, Marina, que conheceu o arqueiro em 2017, na Inglaterra, garante que ele é uma pessoa tranquila e afirma que “o emi é completamente diferente do Dibu”: “Ele é uma pessoa super tranquila e calma, tá sempre com a família. Ele não é aquele maluco que tá todo mundo comentando. Eu acho até engraçado ver os comentários nas redes sociais, das pessoas chamando ele de maluco beleza (risos). Ele é tranquilo demais”.

Marina com Dibu Martínez, a prima Mandinha, o filho do casal, o pai de Dibu e a mãe de Mandinha – Foto: Arquivo Pessoal/Instragram

O PRIMEIRO ENCONTRO DE DIBU E MANDINHA

A calma, tranquilidade e até a timidez foram demonstradas também quando o romance entre Martínez e Mandinha teve início. Marina conta onde os dois se conheceram e como foi o primeiro encontro: “Ela conheceu ele no restaurante dos meus tios. Ele adorava ir lá, pq ficava perto da casa dele em Londres (Dibu defendeu o Arsenal) e as vezes ela ia pra lá ajudar eles. Eles (Martínez e Mandinha) moravam praticamente um de frente pro outro, sempre se cruzavam na rua. Ela sempre conta que achava que ele era besta, pq quando eles cruzavam na rua ele sempre baixava a cabeça e não falava. Aí um dia ela comentou com um amigo deles em comum que ele era mal educado, pq sempre fazia isso quando passava por ela. Daí esse amigo comentou com ele e ele mandou uma msg pra ela, falando que ele nao era como ela estava pensando, que era apenas tímido e convidou pra tomar um café”.

MARINA FALA SOBRE O CEARÁ

Torcedora fanática do Ceará, Marina diz que já comentou em algumas oportunidades sobre o Alvinegro com o goleiro campeão mundial. A cearense estava morando com a família Martínez quando o Vozão enfrentou o Independiente, da Argentina, pela Copa Sudamericana: “Não posso dizer que ele acompanha o futebol cearense, mas eu sou louca por futebol e fanática pelo Ceará. No ano que morei lá com eles o Ceará estava na sula contra o Independiente e ganhou. O jogo foi de madrugada (em Londres), quando acordei e comentei com ele no café, ele disse que tinha visto. Então ele deve acompanhar o que sai na mídia da Argentina.”

BRASIL OU ARGENTINA?

A presença de Dibu na Copa do Mundo mudou até a torcida da família. De acordo com Marina, no último mundiaL, na Rússia em 2018, a cearense chegou a mandar um roupinha da seleção Brasileira para o filho recém-nascido do casal. Além do uniforme, Marina também enviou uma carta dizendo que enquanto ele não fosse o goleiro da Argentina, a familía torceria para o Brasil. Porém, quando o arqueiro fosse convocado, a torcida mudaria para a Albiceleste.

E foi exatamente o que aconteceu quatro anos depois. A presença de Dibu na seleção fez Marina escolher apenas a Argentina, pois sabia que as duas equipes poderiam se enfrentar: “Eu tentei torcer pelo Brasil, mas não consegui, porque sabia que eles iriam se encontrar em algum momento. Eu queria muito que acontecesse esse jogo! Eu acreditava em um empate do tempo regular e na hora dos pênaltis eu não tenho dúvida que ganharíamos. Emi tem um psicológico muito forte. Ele investe muito nisso com psicólogos pré e pós jogo. Eu acredito que por isso ele sabe como “entrar na cabeça” do batedor e não se abala”.

Antes da Copa de 2022, Marina chegou a postar uma foto de Mandinha Martínez na torcida pelo Brasil em outra ocasião:

Mandinha Martínez na torcida pelo Brasil antes de Dibu disputar a Copa – Foto: Arquivo Pessoal/Instagram

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: