Cearense Deividy Hadson é campeão da Liga Nacional de Futsal e se torna um dos maiores nomes da modalidade

Foto: Reprodução/SporTV

Corinthians conquistou o seu segundo título da LNF

Neste domingo, 13, Atlântico e Corinthians decidiram a Liga Nacional de Futsal em Erechim com a equipe paulista se sagrando campeã da principal competição nacional do país.

Na ida, no Parque São Jorge, os comandados de Deividy Hadson venceram por 6 a 2 e tinham a vantagem do empate no sul do país.

Após um primeiro tempo truncado, a equipe gaúcha abriu o placar na segunda etapa e estava levando a decisão para prorrogação. Como teve melhor campanha na fase inicial, o Atlântico jogaria pelo empate no tempo extra mas o cearense Deividy colocou o goleiro-linha não partida e mudou o rumo do jogo.

A equipe alvinegra empatou com Deives e goleou no Caldeirão do Galo por 5 a 1.

Deividy Hadson multicampeão

Em sua primeira participação na Liga Nacional de Futsal, Deividy mostrou que o futsal cearense e do Nordeste pode disputar com qualquer clube do país.

Treinador cearense com mais títulos na carreira, o ‘Baixola’, como é conhecido, colocou seu 18º troféu no currículo sendo o segundo pelo Corinthians.

Em sua bagagem no esporte, o técnico soma 16 títulos: Campeonato Cearense (2011, 2015, 2016, 2017, 2018, 2020, 2021), Copa do Ceará (2017, 2021), Liga Nordeste (2017), Copa TV Diário (2016, 2017, 2019), Taça Brasil (2017) e Copa do Brasil (2017, 2021) em passagens por AFAGU/Russas, SUMOV, Aracati, Ceará e Horizonte.

No clube paulista, Deividy conquistou o estadual e a Liga Nacional.

O técnico Deividy Hadson desabafou após a conquista e valorizou o feito de um elenco “desacreditado”.

Cara, o sabor dessa conquista é daquilo que o dinheiro não compra. É a felicidade. Das coisas que são incompráveis. Isso aqui é conquistado. A gente ouviu muita coisa durante o ano e hoje é um dia muito feliz. Dia de agradecer”, iniciou a comemoração em entrevista à transmissão da LNF TV.

O Corinthians se classificou na décima colocação da primeira fase, com campanha inconstante e criticada pela torcida. O treinador sofreu com jogadores no departamento médico e foi obrigado a enfrentar todos os mata-matas com a desvantagem de mando e resultado.

“Vou começar agradecendo o Caique (diretor de esportes terrestres do Corinthians). Eu foi oferecido várias vezes para times da Liga. Nunca ninguém quis porque eu sou lá do Nordeste. Eu ganhei duas Copas do Brasil como treinador e cheguei em quatro finais. E nunca ninguém viu. O Caique viu. Eu sabia quando cheguei aqui que eu ia ter muita dificuldade. Quando não viesse os resultados a cobrança seria muito maior. Mas a gente foi trabalhando aos poucos, conquistando aos poucos, criando uma cara aos poucos, se fortalecendo e chegamos na reta final no melhor ponto”, revelou o treinador.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: