Após polêmica com o Fortaleza, Rebeca Costa é convocada para disputa da Copa do Mundo

Foto: Acervo Pessoal

Volante entrou em atrito com o Tricolor nas últimas semanas

Nesta quarta-feira, 21, a técnica Simone Jatobá anunciou a lista de 21 convocadas para a Copa do Mundo feminina Sub-17. A cearense Rebeca Costa, do Fortaleza, está presente na relação da treinadora.

A jogadora é a única representante de um clube nordestino na seleção.

Confira a lista de convocadas

GOLEIRAS

Leilane (Ferroviária)
Elu (São Paulo)
Mariana (Fluminense) 

DEFENSORAS
Luana (Ferroviária)
Guta (Internacional)
Grazy (Ferroviária)
Kedima (São Paulo)
Ana Beatriz (São Paulo)
Alice (Internacional) 

MEIAS
Gabi Berchon (Internacional)
Rebeca (Fortaleza)
Myka (Internacional)
Carol (São Paulo)
Lara (Corinthians)
Ana Julia (São Paulo)
Juju Harris (Florida United)

ATACANTES
Dudinha (São Paulo)
Ana Flávia (São Paulo)
Aline (Ferroviária)
Jhonson (Toledo)
Rhaissa (Ferroviária)

Entenda a polêmica entre atleta e clube

Natural de Pindoretama, a atleta move ação na justiça contra o Tricolor do Pici por danos morais e dívidas trabalhistas.

De acordo com o advogado da jogadora, Rafael Carvalho Cunha, o clube mandou Rebecca e suas companheiras para a partida contra a UDA, pela sexta Campeonato Brasileiro Feminino Série A2, de mototáxi.

Por meio de nota, o clube desmentiu as acusações e ainda confirmou ter toda a situação trabalhista legalizada, além de afirmar que a atleta passou a faltar treinos e forçar a saída do Tricolor.

Confira a nota completa.

“O Fortaleza Esporte Clube vem, por meio desta, esclarecer que recebe com abalo as acusações da matéria em torno de Rebeca Costa, atleta do Futebol Feminino Sub-20 e profissional. O Clube sempre cumpriu com seus pagamentos, além de demais obrigações que são pagas rigorosamente em dia. Com isso, reforça que não foi procurado para esclarecimentos antes da veiculação da publicação.

O Fortaleza é completamente responsável com todas as suas atribuições com a categoria e por qualquer decisão que venha a tomar, incluindo na melhoria de investimentos para todas as atletas que, por sua vez, recebem todo o suporte para a realização de suas atividades.

Desde que passou a ser convocada, Rebeca passou a ter conduta não profissional, faltando treinamentos sem apresentar justificativas, forçando uma saída do clube no qual tem contrato e que cumpre com suas obrigações, chegando a simular, através de suporte externo, um pedido de rescisão indireto, no qual o clube provou não possuir nenhuma dívida com a atleta. O Fortaleza trabalha por um futebol feminino justo, correto, no qual investimos na modalidade e onde este tipo de prática de uma atleta, muito provavelmente má influenciada por pessoas, mancha a modalidade.

A Instituição reforça que contribuir para o Futebol Feminino já faz parte de sua essência, com captação e desenvolvimento de atletas, em comissão técnica e em disputar todas as competições possíveis. O investimento é crescente ano após ano e, mesmo com esse tipo de conduta individual, o Clube não vai deixar de investir e apoiar a modalidade. Com atuações no Campeonato Brasileiro Série A2 desde 2020, todos os trabalhos são direcionados ao acesso de divisão da categoria.

O Fortaleza ressalva que todas as informações serão tramitadas nos moldes legais, resguardando ao Clube apresentar posteriores esclarecimentos”.

Preparação para a Copa

A estreia do time na disputa na Índia ocorre no dia 11 de outubro diante do Marrocos.

Antes da viagem para a Índia, a seleção disputará um torneio amistoso em Girona, na Espanha. No dia 29, encara a China e, no dia 2 de outubro, joga diante do México.

Depois da estreia contra o Marrocos, o Brasil encara na Copa do Mundo os Estados Unidos, no dia 14 de outubro. Na rodada final da primeira fase, a Seleção encara as donas da casa, a Índia, no dia 17. Na fase de grupos, a equipe brasileira jogará todas as partidas no Estádio Kalinga, em Bubanesvar.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: