Felipe Pires, ex-Fortaleza, consegue sair da Ucrânia com outros jogadores brasileiros

Foto: Ronaldo Oliveira

Guerra entre Rússia e Ucrânia assusta o mundo inteiro

Os jogadores Gabriel Busanello, Felipe Pires e Fabricio Rodrigues, o “Bill”, chegaram ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, no início deste domingo (27) após fugir da guerra na Ucrânia. Os três atuam no time ucraniano Dnipro.

Eles foram para a fronteira ucraniana com a Romênia e de lá pegaram um avião para escapar da guerra. Os atletas tiveram que atravessar um percurso de quase mil quilômetros para deixar a Ucrânia, que foi invadida por tropas da Rússia.

“Isso é o pouco que conseguimos trazer. Deixamos tudo para trás. Foi muito estressante, ficamos 26 ou 27 horas dentro de um carro tentando sair de um país em guerra. Foi difícil, agora é alivio, só nós e Deus sabemos o que passamos” disse Felipe Pires.

Brasileiros saindo da Ucrânia

Contratado por quatro anos pelo Dnipro, o atacante Felipe Pires chegou na Ucrânia no mesmo dia em que começou a invasão. “Acordei assustado, pensei que estava sonhando. Quando saí para a janela, olhei pela janela e vi aquela fumaça… Falei: “não acredito, começou a guerra”, relatou Pires.

O atacante teve passagem discreta no segundo semestre de 2019 pelo Fortaleza após ser liberado pelo Palmeiras e cedido pelo Hoffeheim, da Alemanha.

Ucrânia x Rússia: Entenda o conflito entre os países

A escalada de tensão entre Rússia e Ucrânia culminou em ataques por terra, ar e mar, que começaram na madrugada da última quinta-feira (24).

O presidente russo, Vladimir Putin, autorizou uma “operação militar especial” na região de Donbas (ao Leste da Ucrânia, onde estão as regiões separatistas de Luhansk e Donetsk, as quais ele reconheceu independência). Os russo promoveram um ataque a quase todo o território ucraniano, com explosões em várias cidades, incluindo a capital Kiev. De acordo com autoridades ucranianas, dezenas de mortes foram confirmadas nos exércitos dos dois países.

Existem vários motivos para a invasão russa em território ucraniano, mas entre eles estão:

  • Conflitos separatistas no leste da Ucrânia — nas províncias de Donetsk e Luhansk, reconhecidas como independentes por Putin;
  • Aproximação da Ucrânia com o Ocidente — a possibilidade do país fazer parte da Otan e da União Europeia;
  • Expansão da Otan no Leste Europeu — menção da organização em adicionar a Ucrânia e a Geórgia como países membros;
  • Ambição expansionista e revisionista de Putin — o presidente russo quer aumentar o seu poder de influência na região.

As informações são do Portal G1 e CNN Brasil.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: