CAMPEONATO BRASILEIRO Fortaleza

“Olha só você”: Quatro anos depois de contratação, Fortaleza enfrentará Rogério Ceni pela primeira vez na Arena Castelão com presença de torcedor

Foto: José Rosa de Araujo Filho/Futura Press/Folhapress

Treinador conquistou quatro títulos e vaga ínedita para a Copa Sul-Americana no Leão

Na próxima quarta-feira, 10, o Fortaleza terá mais um importante desafio no Campeonato Brasileiro. Em jogo válido pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Leão do Pici receberá o São Paulo, às 21h30, na Arena Castelão. Depois de duas derrotas consecutivas, para América Mineiro e Corinthians, respectivamente, o Tricolor cearense quer voltar a vencer para retornar ao G4. Com 48 pontos e na quinta posição, o clube também já se sente ameaçado por equipes que brigam por vagas na Libertadores da América.

Além da importância da vitória, o confronto contra a equipe paulista será especial para o Fortaleza, para a torcida tricolor e até para o técnico adversário. Isso porque no banco rival do Leão estará Rogério Ceni, um dos ídolos recentes do clube cearense. Depois de uma saída conturbada do Flamengo, equipe que defendeu após passagem pelo Fortaleza, Ceni retornou ao primeiro time de sua carreira e atualmente soma duas vitórias em cinco jogos. Essa será a terceira vez em que o “M1to” enfrentará o Tricolor de Aço como técnico. No primeiro turno do Brasileirão, quando ainda treinava o Rubro-Negro carioca, Rogério comandou a vitória do Flamengo por 2 a 1 sobre o Leão no estádio Maracanã. Em 2020, as duas equipes empataram em 0 a 0 na Arena Castelão. Ambas as partidas sem a presença de público.

Apesar do primeiro encontro ser sempre emocionante, o próximo duelo “coleciona” motivos para ser mais especial. A começar pela data da partida. Foi no dia 10 de novembro de 2017, quatro anos antes do reecontro na Arena Castelão, que Rogério Ceni assinou seu primeiro contrato com o Fortaleza e foi anunciado oficialmente pelo clube. Foi naquele dia que, apesar de algumas críticas e dúvidas por parte de torcedores e imprensa, começou a história de uma dupla de sucesso: Fortaleza e Rogério Ceni.

Rogério Ceni se apresenta ao Fortaleza em 2017 – Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza EC

O começo foi turbulento. Com bons jogos, treinamentos diferenciados e participação em contratações, mudanças de estruturas na sede e no CT Ribamar Bezerra, Ceni ganhou a admiração de diretores, torcedores e imprensa. Porém, duas derrotas nas finais do Campeonato Cearense para o Ceará, colocaram a permanência do jovem treinador em cheque. O presidente Marcelo Paz concedeu entrevista coletiva um dia após a perca do título estadual, garantindo que Rogério Ceni seria o treinador do Fortaleza para a Série B.

E que decisão correta, apesar de díficil, tomou o mandatário do Tricolor de Aço. A partir dali, Ceni se transformou como treinador, e certamente, transformou o clube. O título da Série B do Brasileirão de 2018 veio para coroar um trabalho bem executado, dentro e fora das quatro linhas. A campanha avassaladora do início ao fim, mostrou para o Brasil que Rogério Ceni era treinador de futebol e podia realizar bons trabalhos.

A parceria foi renovada para 2019, e o sucesso continuou. Título cearense, da Copa do Nordeste e o nono lugar na Série A do Campeonato Brasileiro, conquistando para o Leão uma classificação inédita para a Copa Sul-Americana. A essa altura, a breve saída para o Cruzeiro (uma espécie de “nem foi e já voltou”) era uma ferida já cicatrizada.

Em 2020, apesar de várias especulações, muita ciumeira da torcida com com assédio de outras equipes e de cada vez mais sucesso no comando do Fortaleza, Ceni renovou com o clube até o final de mais uma temporada. A pandemia do Covid-19 fez com que o futebol ficasse paralisado no Brasil por três meses. Sem treinos e jogos, o paranaense de Pato Branco manteve seu foco no Tricolor e trabalhava com a diretoria para definir contratações e volta aos treinos. Com o retorno dos jogos, Ceni conquistou o Bicampeonato cearense, mas foi eliminado na semifinal da Copa do Nordeste pelo Ceará. Após o título estadual, o treinador se emocionou em entrevista ao dizer que não queria se despedir do clube sem a presença do torcedor no estádio, medida tomada para evitar aglomerações devido a pandemia. Parecia que Ceni já estava prevendo o que ia acontecer…

Pelo segundo ano consecutivo, Rogério Ceni iniciou uma Série A pelo Fortaleza. Após um começo com três jogos sem vitórias, a equipe engrenou e começou a olhar, mais uma vez, para o Top 10 da tabela de classificação. No entanto, novembro chegou. E antes de um jogo contra o Bahia, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, Ceni deixou o Leão do Pici. Dessa vez, a proposta de treinar o Flamengo, atual campeão Brasileiro e da Libertadores, foi tentadora. No dia 9, o treinador abandonou a delegação Tricolor em Salvador. Partiu de madrugada para o Rio de Janeiro, para no dia 10, justamente três anos depois de acertar com o Fortaleza, assinar com o clube carioca.

A passagem de Rogério Ceni pelo Fortaleza foi vitoriosa. Foi ele que colocou uma estrelinha no escudo Tricolor. Com mais de 100 jogos, um título Brasileiro da Série B, uma Copa do Nordeste e dois estaduais, além de classificação para uma competição internacional, se tornou, para especialistas, o maior treinador da história centenária do clube cearense.

Outro motivo especial no duelo de quarta, é o fato de que esse será o primeiro reecontro de Ceni com a presença do torcedor do Fortaleza. Brigando por uma vaga na Libertadores, a torcida Tricolor encontrou no técnico argentino Juan Pablo Vojvoda, um substituo a altura do Ceni. Porém, Ceni deve receber homenagens na arquibancada.

Para alguns torcedores, Rogério Ceni, que jurou várias vezes em 2020 que não deixaria o clube novamente no meio da temporada, foi infiel e dizem até hoje que traição não tem perdão. A ausência do treinador no Pici, fez com que o Fortaleza caísse de produção e terminasse a temporada brigando contra o rebaixamento. A péssima campanha no segundo turno, fez com que a torcida perguntasse: e agora, de quem é a culpa? .

Para outros, a mudança que o treinador implementou no clube em três temporadas, é o principal motivo para que o Fortaleza possa continuar dando passos largos em busca de outro patamar.

No reecontro do Brasileirão, o Fortaleza quer demonstrar que já superou a saída do treinador. Por outro lado, Rogério Ceni quer vencer e mandar um “Esqueça-me se for capaz”. O empate não ajudará nenhum dos dois clubes na tabela. Se terminar assim, “Todo mundo vai sofrer”.

Que será uma grande jogo, isso “Eu sei de cor”, mas o que importa para o Fortaleza na próxima quarta-feira é que a torcida não saia do estádio, com “Saudade do meu ex”.

Deixe uma resposta