COPA DO BRASIL Entrevistas Fortaleza

Matheus Vargas vibra com vitória do Fortaleza e ressalta grupo leonino: “A gente teve tranquilidade e atitude”

Foto: Reprodução/TV Leão

Meia comentou, além disso, sobre o estilo de jogo adotado pelo CRB no duelo diante do Tricolor do Pici

Na tarde desta quinta-feira (29), o Fortaleza recebeu, em confronto válido pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil 2021, a equipe do CRB na Arena Castelão. Como resultado do duelo, vitória do Leão do Pici de virada pelo placar de 2×1. Com dois gols de Wellington Paulista, o Tricolor de Aço reverteu a desvantagem no placar e leva a possibilidade do empate para o jogo da volta em Alagoas para avançar na competição nacional.

Anúncios

+ LEIA MAIS | Vojvoda ressalta força mental e tática do Fortaleza diante do CRB: “Time teve caráter e funcionamento”

Análise da partida

Em entrevista coletiva pós-jogo, o meia Matheus Vargas fez uma análise da partida feita pelo Fortaleza diante da equipe do CRB: “A gente sabia da forma que o CRB joga, que é esperar o adversário para sair no contra-ataque. Saímos atrás do placar, mas, com a intensidade que o professor sempre pede, conseguimos buscar o resultado, que foi muito importante, pois saímos na frente no confronto”, disse o jogador.

Estilo de jogo do CRB

Em seguida, Vargas deu observações a respeito do estilo de jogo adotado pelo time do CRB na partida da Copa do Brasil: “Acredito que não é retranca, mas um estilo de jogo. Quem acompanha o CRB sabe que não foi um estilo de jogo contra nós, mas o que eles vem fazendo na Série B. Eles estão muito bem treinados dessa maneira. Sabemos que teríamos muita dificuldade para entrar na defesa deles, mas, com muito trabalho, a gente conseguiu buscar a virada no segundo tempo e sair daqui com a vitória”, completou o meia.

Anúncios

Atitude do grupo do Fortaleza

Por fim, Matheus Vargas afirmou quais os principais fatores do grupo do Fortaleza que fizeram o Leão virar o placar: “Atitude do time, principalmente por não deixar cair a intensidade. Querendo ou não, quando se está atrás do placar e chegam os 25 minutos do segundo tempo, a equipe fica mais afoita, querendo o resultado de qualquer jeito. A gente teve tranquilidade e atitude”, finalizou o camisa 96 do Tricolor de Aço.

Anúncios

Siga o Portal Futebol Cearense no Facebook, no Instagram e no Twitter.

Deixe uma resposta