CAMPEONATO BRASILEIRO Ceará

Guto Ferreira fala em não menosprezar o resultado fora de casa: “Pontos como esse, ano passado, que fizeram diferença no final”

(Foto: Reprodução / Vozão Tv)

O treinador avaliou o Vovô melhor no jogo, entretanto faltou sorte nas finalizações atrapalharam o time

Neste domingo, 13, o Ceará ficou no empate sem gols com a Chapecoense, na Arena Condá, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Assim, a equipe se mantém na 11ª posição, com quatro pontos. Após o jogo, o técnico Guto Ferreira concedeu entrevista coletiva à imprensa e falou sobre o desempenho do alvinegro na partida e as expectativas para a sequência da temporada.

Análise da partida

Inicialmente, quando perguntado sobre o desempenho do Ceará contra a Chapecoense, o treinador Guto Ferreira avaliou o Alvinegro como superior no jogo, porém a queda de rendimento no segundo tempo e a falta de sorte atrapalharam o Vozão: ” Estatisticamente, no jogo, nós tivemos à frente da Chapecoense em todos os quesitos. Posse, Finalizações, Finalizações dentro do gol, escanteios, chances claras de gol. Eu acho que nós fizemos um primeiro tempo muito bom. Faltou o gol. Nós tivemos infelicidade de num dos lances a bola bater duas vezes na trava, tem algumas coisas assim que são detalhes, faltou um pouquinho de sorte pra gente. No segundo tempo, nós tivemos um início tentando manter o nível, depois houve uma queda. Uma queda que tenderia a acontecer. Nós jogamos na quinta-feira o clássico e jogando no domingo, bem próxima numa sequência que a gente ainda tá fazendo. É normal que tenha essa queda, mas vamos trabalhar pra que isso deixe de acontecer”.

Sem Vina

Para a partida, Guto Ferreira naõ escalou o meia Vina entre os titulares para o confronto contra a Chapecoense. Nos últimos jogos, o meia não vem rendendo como o esperado em campo e após uma sequência ruim na equipe titular o jogador começou a partida no banco de reservas. Além disso, depois da serie de resultados ruins da equipe, o clima entre o treinador e o atleta não é bom. Dito isto, quando perguntado sobre sobre a decisão e se houve alguma conversa entre as partes , Guto afirmou: ” A decisão foi nossa de começar com Jorginho. E eu acho que você (reporter) já fez a avaliação do momento dele e ele também, consiente do momento. Agora é trabalhar, é dar uma refletida e com certeza buscar. Ele é uma peça importante, sim. E nós temos que ter todo o carinho pra ir colocando ele no melhor dele e que ele possa voltar a repetir o grande jogador que foi na temporada passada e parte dessa temporada”.

Contratações

Logo após, o treinador foi questionado se haveria interesse do Ceará em contratações para reforçar algumas posições. Com isso, o próprio exaltou seus jogadores e afirmou que é um elenco competente que pode voltar a render como antes: ” Eu desde o ano passado sempre coloquei que todo assunto interno, de grupo, e reforços é um assunto de grupo, é discutido internamente. Já não tenho que ficar passando. Quem tiver que passar é o presidente do clube, a direção executiva. Eu tenho um grupo e estou trabalhando da melhor maneira possível com o grupo. Um grupo competente, um grupo que vem com muitos jogos e agora passa a ter um pouco mais de tempo pra poder treinar. A gente não treina dois, três dias seguidos há muito tempo com a equipe principal. Então, tenho certeza que nós vamos tá recuperando a intensidade e o pradrão e a qualidade de jogo que a equipe tinha. A equipe que se mostrou competente pra chegar na final da Copa do Nordeste e ter um desempenho de qualidade dentro da Sulamericana.

Evolução do time

Posteriormente, Guto falou, também, sobre a evolução da equipe contra a Chapecoense, em comparação ao Clássico Rei na Copa do Brasil, onde o Alvinegro foi derrotado por 3 a 0 pelo Fortaleza: ” Foram dois jogos completamente diferentes. O primeiro jogo, um clássico extremamente disputado, onde houveram falhas que acabaram causando a nossa derrota. Hoje, a equipe teve um sistema defensivo sólido, coisa que não conseguiu nesse clássico. E ofensivamente criou algumas chances, não conseguiu fazer o gol. Então, eu acho que, teve sim (evolução), e é só olhar as estatísticas da equipe dentro de campo, em termos de posse, passes certos. Em termos de ataques, finalizações, chances claras de gol. Talvez a pergunta se uma dessas bolas tivesse entrado, talvez você não estivesse fazendo essa pergunta”.

Cada ponto vale

Por fim, o Treinador avaliou o ponto conquistado, fora de casa, contra a Chape como importante para a equipe e não menosprezou o resultado: ” A gente quer sempre o melhor e o melhor é a vitória. A gente sempre trabalha pela vitória, mas a gente não pode menosprezar esse ponto. E pontos como esse, ano passado, que fizeram diferença no final. Foram pontos como esse que fizeram com que o Ceará terminasse com 52 pontos , então nós não podemos, de maneira alguma, desprezar esse momento e esse ponto conquistado”.

Deixe uma resposta