Fortaleza

Tinga analisa Clássico-Rei desta quarta e projeta futuro no Fortaleza: ‘Encerrar minha carreira aqui’

(Foto: reprodução/TV Leão)

Lateral-direito concedeu entrevista coletiva nessa terça-feira (1)

Antes do último treinamento que antecede o duelo contra o Ceará, válido pela terceira fase da Copa do Brasil, o lateral-direito Tinga, do Fortaleza, concedeu entrevista coletiva. Na ocasião, o camisa três projetou o duelo contra o maior rival e comentou sobre o futuro no Leão do Pici.

“Um dos maiores clássicos”

Nesta quarta-feira (2), Fortaleza e Ceará se enfrentarão pela primeira vez em toda a história da Copa do Brasil. Além da rivalidade, o fator financeiro apimenta ainda mais o confronto entre a dupla cearense. Dessa forma, Tinga enxerga este duelo como dos maiores clássicos. Além disso, o o lateral ressalta que o duelo será decidido nos detalhes:

“A gente sabe que vai ser um duelo dificílimo. Sabemos que eles pouparam jogadores para o duelo contra a gente. Então vai ser muito difícil, complicado. Eles estão dando muita importância, e a gente também está dando a maior importância, porque é um clássico em uma Copa do Brasil, que vale tanto. Vale uma oitavas de final e também financeiramente para o clube. Então acho que vai ser um dos melhores e maiores clássicos. Todo mundo já se conhece, então vai ser um jogo de detalhes. Quem errar menos, vai vencer o jogo. Vão ser 180 minutos, então temos que estar muito focado, não desestabilizar. Então a gente tem que estar com cautela, mas sempre querendo atacar e vencer o jogo”.

Sem favoritos

Mesmo diante da boa fase vivida sob comando do argentino Juan Pablo Vojvoda, Tinga exclui o Fortaleza de qualquer favoritismo no confronto diante do maior rival. Além disso, o atleta comentou sobre a qualidade do gramado da Arena Castelão, que segundo ele, não está nas melhores condições:

“Não tem favorito. Clássico, em qualquer jogo, seja estadual, Brasileiro, Copa do Brasil, não tem favorito. Então a gente sabe que tem que mostrar dentro de campo. Sabemos da dificuldade que está o campo, que tá muito ruim. Para o nosso estilo de jogo, o Castelão não está nos ajudando. Isso está dificultando os jogos em casa. Então temos que tentar passar por cima disso também, com a bola no chão, trabalhar o máximo possível para conseguirmos as jogadas. E também neutralizar as forças deles que são os contra-ataques, que são muito rápidos e as bolas paradas”.

Postura em campo

Por ser uma decisão em 180 minutos, ou seja, em partidas de ida e volta, Tinga pede calma para o Fortaleza. O lateral acredita que o Ceará irá jogar esperando o erro do adversário, e por isso o Tricolor precisará ter mais cuidado:

“A gente sempre joga para vencer, independente da situação. Sabemos que tem dois jogos, são 180 minutos. Temos que manter a calma, trabalhar bem a bola, não forçar demais. Acho que temos que atacar em grupo, não sozinho. A gente sabe que eles vão vir marcando lá atrás, esperando o nosso erro. Então temos que tomar mais cuidado, estar mais concentrado. Tentar jogar da nossa forma, para a gente conseguir a vitória e a classificação na outra quinta”.

Nova função

Em algumas oportunidades recentes, Tinga tem sido utilizado como um terceiro zagueiro, deixando assim a lateral-direita. Comentando sobre a função recebida por Vojvoda, o camisa três acredita que só tem a ganhar com a nova posição dentro de campo:

“Nessa função, acho que a gente corre menos porque não precisa chegar na linha de fundo. Então acredito que isso me ajuda bastante. Como eu tenho muita força, eu consigo manter o mesmo ritmo durante o jogo todo, porque não precisa dar tanta explosão. Acho que eu estou me ambientando bem, treinando bem e o professor está me ajudando bastante, conversando, meus companheiros também. Isso tá me agregando mais uma posição e vai me ajudar cada vez mais, e ajudar o Fortaleza também”.

Futuro no clube

Mesmo com apenas 27 anos, Tinga já projeta o futuro no Fortaleza. Ele, que é considerado ídolo pela torcida, revela ter vontade de encerrar a carreira no clube cearense:

“Acho que é um número bom, mas eu quero mais. Com a minha idade, eu sempre falo para os meus amigos, que o meu objetivo é encerrar minha carreira aqui. Eu sei que tem muito tempo, mas eu quero jogar 400, 500, 600 jogos pelo Fortaleza. É o meu objetivo maior. Mas tem que ser tempo a tempo. Tenho contrato ainda, tenho que ir até o final desse ano, dar o meu máximo, me empenhar ao máximo para conseguir os objetivos e depois pensar ano a ano para conseguir ajudar o Fortaleza o máximo possível”.

Guilherme de Andrade
Tenho 19 anos e curso jornalismo.
http://guilhermesport.wordpress.com

Deixe uma resposta