Ceará Copa Sul-Americana

Guto Ferreira diz que o empate foi positivo e destaca a atuação do Ceará na altitude

(Foto: Reprodução/Conmebol)

Além disso, o treinador falou sobre uma possível falta de intensidade por jogar em La Paz.

Após o empate contra o Bolívar na altitude de La Paz, pela terceira rodada da fase de grupos da Sul-Americana, o treinador do Ceará, Guto Ferreira, concedeu entrevista coletiva. Na ocasião ele falou sobre  qual é a sensação desse resultado, a intensidade da equipe nessas condições e destacou a força de todo o grupo do clube.

Sensação do empate

Mesmo sofrendo alguma pressão do Bolívar, a equipe do Ceará teve duas grandes chances de sair com o resultado positivo da Bolívia, mas Jael perdeu um pênalti e Cléber teve uma bola que bateu na trave. Para Guto, mesmo com tudo isso, o saldo é positivo, pois a equipe boliviana é forte dentro de casa e exalta a atuação da equipe.

“Se você pegar as estatísticas dos clubes brasileiros contra o Bolívar em La Paz, se eu não estiver errado, nas 11 últimas partidas, foram 2 derrotas apenas e 9 vitórias. A gente com um campeonato se encerrando, a Copa do Nordeste, fizemos a opção de trazer esse grupo. […] Pouca gente acreditava que pudéssemos trazer um resultado e nós estivemos muito próximos de trazer a vitória. Então não posso lamentar em hipótese alguma, tenho que exaltar a grande partida que nossa equipe fez, colocando todas as adversidades na mesa”.

Intensidade na altitude

Costumeiramente trazendo bastante intensidade aos jogos, a equipe do Vovô não conseguiu replicar essa ideia de jogo na altitude de La Paz completamente. O treinador fala sobre as adaptações do time para jogar na altitude e diz que é difícil para os jogadores manterem o ritmo de jogo sem conseguir respirar direito.

“Nós trabalhamos com esse grupo antes da final da Copa do Nordeste, antes de viajar para a Bolívia e aqui também. Fizemos ajustes das bolas longas, fizemos ajustes dos tipos de jogadas que o Bolívar trama, de que maneira marcar e quando a gente tivesse a bola que tipo de postura ter em campo. Trabalhamos muito a posse pois o ‘cara’ sem o oxigênio não tem como colocar intensidade e muitas vezes ele deixa de ir para a jogada pois está recuperando ainda”.

Deixe uma resposta