COPA DO BRASIL Ferroviário OPINIÃO

O erro que custou milhões ao Ferroviário escancara o nível da arbitragem brasileira

Foto: Lenilson Santos/ Ferroviário AC

Falha custou a eliminação do Tubarão da Barra

Na noite desta quarta-feira, 14, o Ferroviário foi eliminado da Copa do Brasil pelo América-MG após buscar um empate heroico no tempo normal com um gol aos 50 minutos do segundo tempo.

Nas cobranças das penalidades, o Coelho superou o Tubarão da Barra por 3 a 2, mas história deveria ter sido diferente, pois o pênalti de Adilson Bahia, que abriu a série para os cearenses, ultrapassou a linha do gol, mas a arbitragem não validou fazendo com que o Ferroviário fosse prejudicado.

Com mais dois erros, de Augusto e Diego Viana, a equipe deu adeus ao certame nacional de forma amarga e deixou de abocanhar R$ 1,7 milhões se avançasse a terceira fase.

O equívoco cometido pela arbitragem ao não validarem o gol de Adilson Bahia evidencia o nível em que os comandantes da partida estão. Enquanto o futebol brasileiro tenta evoluir, os árbitros parecem regredir a cada ano que passa e a CBF continua tomando apenas medidas paliativas.

Com o ‘VAR’, os erros foram ainda mais crassos e bisonhos mesmo com o auxílio da tecnologia. Os árbitros usaram o vídeo como um muleta para os seus erros e para tirarem a culpa deles.

Nesse início de temporada, sem o ‘VAR’, a arbitragem parece perdida e as falhas são ainda mais constantes. Sem ainda serem profissionais, os árbitros precisam trabalhar em outros empregos para completar as suas rendas e a CBF segue aceitando essa mancha em suas competições por falta de medidas mais complexas e que elevem o nível da arbitragem brasileira.

O

Deixe uma resposta