Fortaleza

Em quadro ao aplicativo oficial do Fortaleza, Marcelo Paz responde perguntas dos torcedores; veja os principais pontos

(Foto: reprodução/TV Leão)

Marcelo Paz responde perguntas dos torcedores

O Fortaleza criou o quadro “Tudo em Paz”, onde o clube receberá perguntas dos torcedores, por meio do aplicativo oficial do tricolor, e as repassará ao presidente Marcelo paz. O intuito é que o mandatário possa responder diretamente ao torcer, sanar todas as dúvidas e relatar sobre o que tem acontecido diariamente no Leão do Pici. Na primeira edição, divulgada pelo clube nessa quinta-feira (8), o diretor tratou de diversos assuntos. Veja abaixo os principais tópicos da “entrevista”:

Anúncios

Permanência de Enderson Moreira

“Para mim é muito claro que a receita do fracasso é ficar trocando de treinador. É só olhar os quatro times que caíram ano passado, quantos treinadores eles tiveram no ano passado, pelo menos uns quatro cada um. Então a literatura esportiva mostra que manter trabalhos é a maior possibilidade de dar sucesso”.

Objetivos na Série A

“Vamos brigar para ficar e buscar uma vaga em competição sul-americana, nós temos condições para isso, temos elenco para isso, temos torcida para isso. Nós já estamos entendendo bem a Série A, como que funciona a competição, as viagens, os estádios que a gente joga, o nível de competitividade dos times. Então acho que nesse ano a gente tem condições de fazer um papel bom, não sofrer como sofremos no ano passado. Reconhecemos que foi um término de competição difícil para todos nós. O torcedor ficou ainda muito magoado, triste e ele tá querendo voltar a sorrir, com boas atuações. Entendo perfeitamente, o torcedor tem suas razões. Queremos fazer um papel na Série A para não estar brigando ali na zona de rebaixamento e buscar vaga em competição internacional”.

Dificuldade na montagem do elenco

“A maior dificuldade é justamente a gente montar um elenco competitivo, vencedor dentro de um curto espaço de tempo e tendo que ganhar. Não é só montar o elenco. É montar, entrosar, ganhar e jogar bonito. Então o desafio é esse. Lembrando que esse ano não teve pré-temporada, treinar, estabelecer conceitos, métodos, rotinas. Trocando o pneu com carro andando”.

Pressão da torcida

“Para trabalhar no Fortaleza, seja quem for, tem que aprender a lidar com a pressão. Ela faz parte, é natural. A mesma coisa que é bom em um clube de massa, proporcionalmente é a cobrança. Então quem não sabe lidar com pressão não pode trabalhar no Fortaleza. Tem que aprender a lidar com a pressão sim, qualquer profissional”.

Renovação de Wellington Paulista

“Camisa 9, quem tem segura, quem não tem tá atrás. É a posição mais difícil de trazer e a mais fácil de tirar, porque sempre vai ter alguém querendo. Em 2019 quem foi o artilheiro do Fortaleza? Wellington Paulista. em 2020 quem foi o artilheiro do Fortaleza? Wellington Paulista. Como que eu não vou renovar com um jogador assim? Qual é a racionalidade, se ele esteve dois anos e nos dois anos ele fez o que precisava fazer: gols. Foi o artilheiro do time em dois anos de Série A. Além de ser um baita atleta, um cara que tem histórico na competição, sempre jogou a Série A, tem respeito dos adversários, tem respeito da arbitragem, cara bom de vestiário. Então entendemos que era necessário e importante, e que vai seguir ajudando o Fortaleza”.

Contratação de Titi

“Titi já tem um pré-contrato assinado com o Fortaleza. Ele tem um contrato ainda com o time da Turquia, que deve estar faltando cerca de 20 dias para acabar, mas pode ser que ele chegue antes disso. O time já sabe que ele não vai ficar, estão negociando uma saída amigável antes do término do contrato. Assim que isso for resolvido ele se reapresenta ao Fortaleza, também com contrato até o fim de 2022”.

Contratação polêmica de Benevenuto

A gente acompanha o futebol e nunca vi nenhum tipo de manifestação de nenhuma torcida, nem da nossa, nem do Botafogo ou de outro clube, que ele foi um atleta que estava enfrentando problema, que tinha um histórico complicado, nunca vi. Quando houve o vazamento da possibilidade dele vir, aí veio a questão da polêmica da suposta agressão em 2017 e nós fomos apurar tudo isso, para a gente era uma surpresa. Primeiro em 2017, faz bastante tempo, ele era um garoto, não houve denuncia da mulher, houve um inquérito policial que foi extinto por falta de provas. Não tem imagens, não tem depoimento e o ministério público do Rio de Janeiro fez uma nova denuncia agora, ainda não há nem processo. Houve um inquérito e foi extinto, houve uma denuncia, mas nem se transformou ainda em processo. Quem sou eu para condenar alguém sem ter o devido processo legal, sem ter um julgamento, sem ter uma condenação, não sou eu que vou condenar. Entendo a polêmica, entendo as pessoas que ficaram chateadas, que acham que estamos acobertando um possível agressor. Não é isso que o Fortaleza está fazendo. O clube está contratando um jogador profissional, para desempenhar um trabalho, para nos ajudar tecnicamente, em que nós buscamos informações do dia a dia. Pegamos todas as informações possíveis para ajudar o Fortaleza. Não vamos fechar os olhos para qualquer questão extracampo, dele ou de qualquer atleta que vá contra os nossos valores e princípios”.

Anúncios

Mercado sul-americano

“É uma alternativa, sempre foi. Acho que essa gestão foi a que mais trouxe jogadores estrangeiros. Se a gente lembrar desde o German Pacheco, que a gente trouxe em 2018, teve o Mariano, o Fragapane, o Quintero, que está aí a bastante tempo, Santiago Romero. Só aí são cinco jogadores que a gente trouxe do mercado sul-americano de 2018 para cá. Então é uma opção sim, é algo que a gente olha, tem bons valores, estamos bem mais acostumados a trazer”.

Critérios para contratação

“Primeiro sem dúvida, a qualidade. Se o jogador não tiver qualidade para o que a gente espera, para a função específica. A questão de qualidade sempre vai ser levada em consideração e o valor também. O Fortaleza é um clube responsável, é um clube reconhecidamente hoje que tem equilíbrio fiscal, orçamentário, governança. A gente não vai extrapolar isso, porque é isso que nos dá sequência, força e crescimento estrutural. Se analisa necessidade do elenco, qualidade técnica, valor, situação contratual, extracampo. Tudo isso a gente usa como critério para fazer as contratações e minimizar erros”.

Investimento nas categorias de base

“Investimento que está sendo feito, nós temos um novo executivo da base, o Agnello Gonçalves, que é extremamente competente, tá montando uma equipe de trabalho muito boa. A gente montou um departamento de captação de inteligência na categoria de base, para observar, monitorar, atrair, reter e desenvolver jogadores jovens para o Fortaleza. É o primeiro ano na história do clube que nós vamos participar dos Campeonatos Brasileiros (Sub-17 e Sub-20)”.

Valor da camisa oficial

“Eu não diria que a camisa é cara. Eu vou dizer que ela realmente não é barata. Se você pegar, a camisa ela é 25% do salário mínimo, para uma pessoa de renda menor ela se torna realmente mais difícil de se adquirir. Mas comparado a camisa de outros times, a nossa é bem mais barata. A camisa é o principal produto físico do clube. Se a gente não valorizar esse produto, a gente está desvalorizando o clube em si. Então existe uma questão de mercado, de posicionamento de marca, de qualidade do produto e tem a pop, que é uma linha popular, que não é nem R$150, acho que é R%70”.

Elenco fechado?

“Não, não tá fechado. Vai chegar gente ainda. Já chegou a maioria, mas alguma vai vir e sempre chega durante a competição (Brasileirão) e sai também por algum motivo. Não existe grupo fechado. Agora a síntese, a essência desse grupo já está aqui. O que a gente quer é qualificar mais e maximizar. É ter o máximo de jogadores que possam dar contribuição esportiva dentro de campo. Então está em aberto, sempre pensando em qualificar, dentro da realidade financeira”, finalizou Marcelo Paz.

Para ver a entrevista na integra basta clicar AQUI.

Anúncios
Guilherme de Andrade
Tenho 19 anos e curso jornalismo.
http://guilhermesport.wordpress.com

Deixe uma resposta