Fortaleza

“O campo prejudicou as duas equipes”, analisou Enderson Moreira sobre a partida do Fortaleza

Foto: Reprodução/TV Leão

Treinador tricolor concedeu entrevista coletiva após vitória sobre o 4 de Julho

Após a vitória por 2×1 do Fortaleza sobre o 4 de Julho neste sábado (27), pela Copa do Nordeste, o treinador Enderson Moreira concedeu entrevista coletiva à imprensa. O comandante tricolor falou sobre a partida, a campanha feita pelo time, os próximos jogos e de assuntos específicos, como os casos dos jogadores Felipe, Ronald, Daniel Guedes e Gustavo Coutinho. Confira:

Anúncios

Liderança do Grupo B

Perguntado sobre o planejamento para o restante da competição após o retorno à liderança, o treinador respondeu:

“A competição é difícil, é um reinício de temporada onde a gente não teve tempo para poder se preparar. Então, a gente está tendo que fazer muitas mudanças, em virtude dessa sequência inicial que sempre é muito perigosa. Nós já tivemos um jogador (Tinga) com uma lesão, grau 1, mas a gente tentou de todas as formas não perder nenhum atleta nesse momento. Então, estamos fazendo, dentro dos parâmetros fisiológicos, as escolhas para que a gente possa tentar manter uma forma de jogar, e ao mesmo tempo não perdemos atletas por um grande período”, destacou Enderson.

O técnico tricolor também enalteceu a vitória sobre o 4 de Julho:

“Foi importante que a gente venceu mais uma fora de casa, um jogo muito difícil, adversário muito qualificado que trouxe muitas dificuldades para muitos adversários também. Então, a gente tem que enaltecer o resultado e continuar firme para que possamos buscar mais uma vitória na sequência.”

Análise do jogo

As dificuldades encontradas no campo do Estádio Albertão foram nítidas, e Enderson falou sobre essa questão e a sua influência na partida:

“Eu acho que o campo prejudicou as duas equipes, não é só o Fortaleza, a equipe do 4 de Julho também é prejudicada. Tanto é que muitos lances aconteceram em virtude de bolas que um jogador acabava perdendo o domínio da bola e o adversário ganhava o contra-ataque. Então, eu acho que, de uma maneira geral, o campo atrapalha as duas equipes. […] Mas, eu gosto de enaltecer o espírito competitivo, a gente enfrentou dificuldades, não viemos para cá reclamando de absolutamente nada. A gente veio sabendo das dificuldades e colocamos uma equipe que estava mais preparada para esse time de jogo”, analisou o comandante tricolor.

O treinador também aproveitou para lamentar a falta que a torcida faz nos jogos:

“A gente sente muita falta do torcedor. Se o torcedor sente falta do estádio, a gente sente muita falta dele. Essa torcida joga muito o time pra cima em momentos difíceis, e a gente sente muito isso. Quando você tá em uma dificuldade, você não tem ninguém que possa passar essa energia a mais, contagiar, fazer com que a gente possa sentir mais presente e forte diante do adversário. Os jogos sem torcida dão uma igualada de uma maneira geral, falta a energia que gira dentro de um estádio. […] A gente trabalha para que possamos fazer com que a equipe ganhe os jogos, jogue bem, uma equipe que o torcedor tenha orgulho. Pode ter certeza que a gente não está, em momento algum, satisfeito com aquilo que está acontecendo, queremos sempre mais, não só nas derrotas, nas vitórias também a gente tem uma cobrança naquilo que pode ser melhor e evoluir.”

Anúncios

Situação de Felipe

Questionado sobre a situação do volante Felipe, que mais uma vez não esteve à disposição do grupo. o treinador respondeu:

“O Felipe não treinou normalmente. Ele teve um período inativo grande, iniciou os trabalhos com bola a partir do dia 11, mas tem muitos aspectos físicos que ele precisava desenvolver. A partir dessa semana ele entra realmente em condições de poder participar do nosso grupo. Infelizmente a gente não contou com ele no início da temporada, é um jogador que gostamos muito e temos uma perspectiva muito boa, ele tem o reconhecimento de todos pela sua qualidade. Mas, infelizmente ele não estava em condições devido a uma lesão, e agente tem que respeitar. Não é a minha vontade, eu já estava queria estar contando com o Felipe há muito tempo, porque trata-se de um jogador sempre muito qualificado”, explicou Enderson Moreira.

Situação de Ronald

Desde o início da temporada, o volante Ronald não foi utilizado em nenhum momento pelo treinador Enderson Moreira. Novamente sem entrar em campo, o técnico foi perguntado sobre a situação do atleta.

“O Ronald é um menino, jogador muito promissor que a gente acredita e confia muito. Acho que no finalzinho do ano passado ele teve alguns momentos onde não conseguiu desempenhar da maneira que eu acho que ele pode desempenhar. Ele está num processo de maturação. Também houve momentos em que a gente precisava observar outros atletas. Mas é um jogador que está totalmente integrado, de ótima capacidade e esteve muito perto de entrar hoje, muito perto, mas a gente teve que fazer algumas modificações em função de alguns desgastes, e não teve condições de colocá-lo”, avaliou o técnico.

Condições de Daniel Guedes

Novamente tendo que improvisar na lateral direita em virtude da lesão de Tinga, Enderson foi questionado sobre as condições de jogo de Daniel Guedes, reforço tricolor que ainda não estreou.

“O Daniel Guedes quando chegou aqui isso já era previsto, foi conversado com toda a direção, de que ele demandaria um tempo maior para se condicionar. A gente tentou ele para esse jogo, mas ainda não era o momento. A partir da próxima semana ele já vira uma opção para poder participar normalmente do jogo”, explicou o treinador do Fortaleza.

O comandante também se estendeu para falar da situação de Yago Pikachu, titular na partida contra o Santa Cruz na última segunda-feira (22), mas hoje nem sequer relacionado.

“O Yago Pikachu a gente usou no último jogo, mas o muito tempo de inatividade dele fez com que a gente não achasse seguro trazê-lo para um jogo assim. Pela dificuldade do adversário, o pouco tempo de recuperação de um jogo pro outro, a gente teve de esperar um pouco.”

Confira toda a entrevista na TV Leão:

Deixe uma resposta