Semifinalista do Paulistão, técnico famoso e estrutura de qualidade: Conheça o Mirassol, adversário do Floresta na final da Série D

Foto: Reprodução/Mirassol

O Leão é o único dos quatro promovidos na divisão que já havia disputado a Série C

Depois de eliminar a equipe de melhor campanha no Brasileirão Série D, Novorizontino, o Floresta chega a decisão contra mais um paulista: o Mirassol. O primeiro jogo será em Fortaleza e o segundo em São Paulo. Datas, horários e locais ainda será confirmado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A equipe paulista está longe de ser anônima, até pela grande exposição do estadual onde atua. Mas de forma mais profunda, quem é o Mirassol? Qual o tamanho do feito do acesso e da classificação a final? Confira alguns pontos que destacam a trajetória do Leão da Alta Araraquarense:

Na Série D

O time da cidade homônima, Mirassol, caiu no grupo A7, que mesclou times da região Sul e Sudeste, o Leão passou na segunda posição, com 26 pontos, quatro a menos que a líder Ferroviária/SP. Foi na segunda fase, o duelo mais difícil até aqui. Contra o Caxias/RS, os paulistas quase deram adeus a competição. Depois de perder na ida, por 1×0, no estádio Centenário, veio a virada, na partida de volta. Vitória por 1×0, igualando o placar da ida e nos pênaltis, veio a classificação.

Nas oitavas de final, o adversário parecia dos mais difíceis, o Brasiliense/DF. Mas depois de crise dentro do Jacaré, o Mirassol passou fácil, com goleada por 4×0 na ida e derrota por 2×1 na volta. E já no confronto do acesso, duas vitórias sobre a Aparecidense e vaga assegurada na Série C 2021.

Na semifinal, o adversário era o então time de melhor campanha, Altos/PI. Na ida, um resultado encarado como surpreende para muitos, goleada por 4×0 contra os piauienses. Na volta, nova vitória e vaga na final.

O fator casa certamente pesou na campanha. Até aqui, são 11 jogos, com 10 vitórias e 1 empate.

Técnico Famoso

Eduardo Alexandre Baptista ou simplesmente Eduardo Baptista, é o comandante do Leão. O jovem treinador é famoso, não só por ser filho do Nelsinho Baptista, campeão da Copa do Brasil com o Sport, em 2008. Sua carreira tem pontos altos, como treinar o Palmeiras em 2017, ainda que não tenha sido vitoriosa. Foi no Alviverde que Eduardo virou meme, após uma entrevista coletiva no estádio Campéon del Siglo, na saída do jogo entre Peñarol 2 x 3 Palmeiras, onde o treinador soltou o verbo contra as críticas e pressão que sofria, pela mídia e falou a seguinte frase: ”Fala a fonte!”. Foi o suficiente para os internautas levassem a frase na brincadeira.

Claro, Eduardo Baptista não é apenas um meme. No currículo, acumula passagens por Sport, Ponte Preta, Fluminense e no já citado Palmeiras. Apesar de bons trabalhos, apenas dois título, no Leão da Ilha: Foi campeão Pernambucano em 2014 e no mesmo ano, bateu o Ceará na final da Copa do Nordeste.

Floresta, Mirassol e o Sorteio

Na fase de quartas de finais, onde os confrontos eram decididos pela campanha até a fase do acesso, estava previsto o confronto entre Mirassol x América/RN e Floresta x Aparecidense. Porém, após um erro de regulamento e um empate em pontos entre potiguares e goianos, um sorteio decidiu os dois confrontos. Mirassol acabou trocando de adversário e enfrentou a Aparecidense. O Floresta por sua vez, teve um duelo repetido da fase de grupos, contra o Alvirrubro.

Estrutura

Em 2018, o Mirassol foi premiado pelo seu trabalho nas categorias de base. O clube do interior paulista revelou o atleta Luiz Araújo, que após passar pelo São Paulo, foi comprado pelo Lille, da França, por 10,5 milhões de Euros, o que na cotação da época, girava em torno de R$ 38 milhões. Dono de 30% do passe, o Leão recebeu R$ 11 milhões.

Com a bolada, veio o ousado investimento, um Centro de Treinamento de qualidade, no mínimo, de clube de Série B do Brasileirão.  Foram investidos R$ 6 milhões na construção do CT, em uma área de 1,5 mil m².

Temporada 2020

Além do acesso, o Mirassol também teve sucesso no Paulistão. Antes da paralisação pela pandemia, o Leão fazia boa campanha, com um bom elenco. Mas entre a parada e o retorno, Eduardo Baptista teve que liderar uma reformulação de elenco, depois da saída de boa parte do time. O que parecia um time ”remendado”, para finalizar o estadual, veio o sucesso no torneio.

Nas quartas de finais, o adversário era o São Paulo. Melhor para o clube do interior, que impôs ao Tricolor, uma dura eliminação, que pesa nas costas do atual treinador, Fernando Diniz. O Leão só parou nas semifinais, ao cair diante do Corinthians. Mesmo assim, foi a melhor campanha do clube na história do certame.

Após o estadual, um novo desmanche pois em risco o projeto de acesso para a Série C. Coube ao técnico, mais uma vez, remontar seu grupo e lutar no torneio nacional.

Deixe uma resposta