CAMPEONATO BRASILEIRO Entrevistas Floresta Série C Série D

Após conquistar o acesso, Leston Júnior comenta sobre o feito: “O sentimento é de um orgulho muito grande”

Foto: Ronaldo Oliveira/FlorestaEC

O comandante do Verdão foi um dos principais destaques na campanha que levou mais um clube cearense para a Série C

O Floresta foi até Natal para fazer o maior jogo de sua história, que valeu vaga na Série C do Campeonato Brasileiro. O Lobo da Vila fez bonito e com uma vantagem de dois gols, o empate conquistado na Arena das Dunas, sobre o América, foi o suficiente para assegurar o primeiro acesso em divisões nacionais do Verdão da Vila Manuel Sátiro.

Anúncios

Depois do histórico feito, o técnico Leston Júnior falou sobre a conquista, ainda emocionado e exaltou o trabalho em equipe, entre jogadores e todos os funcionários extracampo e comentou suas estratégias para bater o América e sobre a disputa do título nacional.

Sobre o que representa a conquista do acesso, Leston falou: “É difícil mensurar, porque é uma conquista nacional. Se a gente for pegar o universo de profissionais que passaram na história do futebol brasileiro, é um percentual muito pouco que consegue conquistar. E isso foi um tema que a gente utilizou muito, na conversa de preleção antes do jogo, o que a gente poderia alcançar hoje era algo que valeria a pena toda e qualquer esforço, todo e qualquer sacrifício. E a gente só vai saber a dimensão disso mesmo, eu que já tive a oportunidade de conquistar outro acesso nacional, a gente já consegue dimensionar isso, com o passar dos dias. Mas, hoje, o sentimento é de um orgulho muito grande, de tudo que foi construído, de tudo que foi feito e o acesso, ele é a consagração desse trabalho, um trabalho feito com muitas mãos, afinal de contas, o futebol é um segmento que só se conquista com muita gente, muito mobilizado e Floresta foi assim ao longo de toda trajetória.”

Anúncios

Perguntado sobre sua estratégia para superar a equipe potiguar nos dois confrontos, o treinador Mineiro disse: “Então, eu tinha dito ao longo da semana que o nosso acesso passava por fazer um gol. Porque a gente sabia que o América tem um poder ofensivo muito grande, ia fazer um jogo de muita agressividade e a gente precisava frear isso de duas maneiras: neutralizando, como a gente fez a maior parte do jogo, mas a gente precisava incomodar, a gente precisava criar uma situação de desconforto emocional para o América, para que a gente pudesse encaminhar essa classificação. E quando você faz o gol, o adversário precisa fazer mais dois ou três, emocionalmente, ali acaba o jogo. Eu acho que no início, a força mental que o grupo teve, depois de tomar o gol no final do primeiro tempo e ter a tranquilidade de voltar reproduzindo aquilo que a gente trabalhou a nível de estratégia.

Classificado para a semifinal da competição, o comandante do Lobo falou sobre a possibilidade de título: “Bom, eram 64 clubes, quatro conquistaram o acesso. Os quatro tem o direito de sonhar. Eu diria hoje, que é 25% de possibilidade para os quatro. A gente tem que trabalhar, primeiro comemorar muito o feito, comemorar muito a conquista, mas depois ter a ambição. Eu acho que todo profissional de futebol ou de qualquer segmento precisa ter ambição. Ficar feliz, comemorar as conquistas, mas não perder o anseio, o desejo de buscar mais. E se eles nos permitirem, porque não? A gente vai buscar primeiro passar a final, depois pensar no título.

O próximo adversário do Floresta é o Novorizontino, equipe paulista que eliminou o Fast/AM, para assegurar o acesso. A data dos confrontos ainda não foi confirmada pela CBF.

Anúncios

Deixe uma resposta