Marcelo Chamusca elogia plano de jogo do Fortaleza e fala sobre arbitragem: ‘Dois pesos, duas medidas’

(Foto: reprodução/TV Leão)

Chamusca elogia plano de jogo do Fortaleza

Jogou para ganhar

Após empate em 1 a 1, contra o Flamengo, o treinador Marcelo Chamusca concedeu entrevista coletiva e comentou sobre a parte tática de sua equipe. Além disso, o técnico disse que o Fortaleza, dentro do plano de jogo proposto, jogou para vencer:

Anúncios

“A gente jogou para ganhar, claro, dentro da nossa estratégia, do nosso plano de jogo. Em nenhum momento nós utilizamos uma estratégia que fosse para levar apenas um ponto no jogo. Nós fizemos um jogo, taticamente, muito qualificado. Nós fomos muito fieis ao plano de jogo que foi montado, que era se organizar defensivamente, e quando a gente recuperasse a bola, ter um jogo mais vertical”.

Manter o espírito

Já visando o próximo confronto, Chamusca diz que o Fortaleza tem obrigação de manter o espírito competitivo demonstrado contra o Flamengo, também diante do Sport. Além disso, o técnico reconheceu a importância do duelo contra o time pernambucano, concorrente direto na parte debaixo da tabela:

“Nós temos obrigação de manter o nosso espírito competitivo. Porque a gente vai para um jogo de seis pontos, em um momento crucial da competição, contra um adversário que vem de um resultado negativo e também está lutando no mesmo local que nós. Então nós não podemos, não temos o direito de fazer um jogo com essa excelência que nós fizemos hoje, e a gente dar um porcento a menos do que demos hoje (na próxima partida). Nosso momento é de dar 100% em todos os jogos. Sport é um concorrente direto, que a gente precisa vencer”.

Anúncios

Arbitragem

Na primeira etapa, o chileno Mauricio Isla, lateral-direito do Flamengo, proporcionou um lance que gerou reclamações do técnico tricolor. Para Chamusca, o atleta rubro-negro deveria ter levado o segundo cartão amarelo, e consequentemente, ser expulso:

“Eu acho que o árbitro pecou no lance em que o Isla mata o nosso contra-ataque, já com cartão amarelo, ele até fica na dúvida se dá o cartão amarelo ou não, depois que vê que o cara já tinha amarelo, segura. O Ronald tomou um cartão por matar o contra-ataque. O tal do “dois pesos, duas medidas”

Anúncios

Deixe uma resposta