Fortaleza

Osvaldo pede ‘cabeça fria’ e ‘calma’ para o Fortaleza superar má fase

(Foto: Dudu Oliveira/Fortaleza EC)

Osvaldo comentou sobre o momento atual do Fortaleza

Pior momento

A pressão dos torcedores do Fortaleza sobre o clube aumentou consideravelmente após a derrota no Clássico-Rei do último domingo, 20. Diante disso, Osvaldo, atacante do Leão do Pici, reconheceu os próprios jogadores deixaram essa cobrança aumentar. Além disso, o camisa 11 disse que esse é o pior momento do clube desde a Série B:

Anúncios

“É uma pressão que nós jogadores deixamos acontecer. Alguns resultados negativos que vem de alguns jogos. Se tratando de Fortaleza, nos últimos anos, o clube passa acho que o seu pior momento. Se você pegar desde a Série B até agora nesse momento da Série A, acho que é o pior que a gente vive dentro da competição. É criar forças, se unir cada vez mais. Só nós jogadores podemos dar a volta por cima”.

Cabeça fria

Osvaldo reconhece que a falta de pontaria dos jogadores foi primordial para alguns resultados negativos, e pede cabeça fria para os atletas conseguirem suportar a pressão e dar a volta por cima dentro do Brasileirão:

“Infelizmente tivemos dois/três jogos que daria para ter saído com o resultado positivo, que se a gente tivesse caprichado um pouquinho mais na finalização a gente teria saído com a vitória, e hoje ninguém estaria falando que a culpa é do treinador, de jogador. Estaria com um clima normal. A gente sabe da qualidade da equipe, sabemos do empenho que o professor Chamusca vem tendo no dia a dia com a gente para que possamos acertar nos jogos. É ter paciência, perseverar nos treinamentos, nos jogos ter muita calma. A gente tem que ter cabeça fria para suportar a pressão e dar a volta por cima”.

Anúncios

Zona do rebaixamento

Nos últimos onze jogos no Brasileirão, o Fortaleza venceu apenas um. Com isso, o Leão do Pici se aproximou bastante da zona do rebaixamento. Osvaldo reconheceu que estar próximo do Z4 é complicado, e diz que o Tricolor precisa fazer pontos para ter tranquilidade:

“A gente sabe que estar perto da zona é complicado, principalmente quando começa afunilar o campeonato, é difícil sair. Então a gente tem essa preocupação. Algumas rodas atrás a gente olhava para um G6, uma colocação melhor, e dez rodadas depois, hoje a gente olha, realmente, com o foco de se afastar daquela zona de perigo. A gente tem que procurar fazer os pontos o mais rápido possível, para a gente ter mais tranquilidade nos treinamentos e nos jogos”.

Anúncios
Guilherme de Andrade
Tenho 19 anos e curso jornalismo.
http://guilhermesport.wordpress.com

Deixe uma resposta