Fortaleza

Felipe Alves puxa responsabilidade do mau momento para os jogadores e diz: ‘A gente vai dar um jeito de sair dessa situação’

(Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza EC)

Felipe Alves concedeu entrevista coletiva nessa terça-feira

Bater faltas

Felipe Alves, goleiro titular do Fortaleza, vem sendo um dos principais goleiros do país, não apenas por conta das boas defesas, mas também devido ao bom jogo com os pés. Diante disso, o arqueiro comentou, em entrevista coletiva, sobre a possibilidade de começar a bater faltas no Leão do Pici, durante as partidas da equipe:

Anúncios

“Cara, é uma situação que é válida dentro do futebol, né? Acho que todo atleta profissional tem essa qualidade de poder treinar uma cobrança de falta, uma cobrança de pênalti. Se eu fosse um cara que me dedicasse ao treinamento de falta, seria possível sim. Mas, eu acho que tem jogadores de mais qualidade, que treinam mais e que acabam exercendo na hora do jogo, Mas não é uma coisa descartável”.

Responsabilidade dos jogadores

O momento atual do Fortaleza não é nada bom. O clube passa, talvez, pelo momento de maior dificuldade desde que retornou para a primeira divisão. Com isso, Felipe Alves tratou de defender o treinador Marcelo Chamusca, e trouxe toda a responsabilidade pelos resultados ruins para os jogadores:

“Acho que o Chamusca é o menor culpado da história. A responsabilidade maior é toda nossa, e o Chamusca não tem nem quarenta dias de trabalho. Não tem como colocar essa carga toda nas costas dele. A responsabilidade é nossa, e tem que partir da gente essa recuperação. A gente é um grupo, vive momentos bons e vive momentos difíceis também, e são nesses momentos que a gente tem que se apegar em nós mesmos, para poder sair dessa situação. Chamusca é um ser humano incrível, e está fazendo o possível e o impossível para poder adaptar a gente, fazer com que a gente evolua dentro do sistema dele. A gente vai dar um jeito de sair dessa situação”.

Anúncios

Se apegar ao ponto forte

Pensando no que poderia ajudar o clube a sair dá atual fase ruim, Felipe Alves disse que o Fortaleza precisa se apegar ao ponto forte do time:

“Acho que a gente tem que se apegar ao nosso ponto forte, que sempre foi o grupo, jogar pelo grupo, fazer aquilo que for melhor para o grupo, para os onze jogadores que forem escolhidos para começar a partida. Porque a nossa força está nisso, está no conjunto, está em todo mundo saber todas as posições e funções, e quando isso foi feito a risca, as coisas aconteceram de uma maneira bem positiva para a gente”.

Jogo normal

No próximo sábado, 26, o Fortaleza vai reencontrar o seu ex-treinador, Rogério Ceni. No, Felipe Alves trata a partida com naturalidade e vê jogo igual aos outros:

“Cara, é mais um jogo. São os mesmos três pontos de qualquer outra equipe, de qualquer treinador. Não pode focar no Rogério, no ex-treinador. A gente tem que focar no Fortaleza, no que a gente precisa fazer para ganhar essa partida, porque só nos interessa a vitória e pontuar”.

Anúncios
Guilherme de Andrade
Tenho 19 anos e curso jornalismo.
http://guilhermesport.wordpress.com

Deixe uma resposta