De ‘burro’ a ‘ídolo’: os mil dias de Rogério Ceni a frente do Fortaleza

Foto: divulgação / Instagram Fortaleza EC

Treinador se tornou ídolo do clube cearense

Esta quarta-feira, 23, aparentemente seria mais um dia normal para o treinador Rogério Ceni. Porém, o técnico atingiu mais um feito marcante em sua carreira como treinador. Desde o anúncio do ex-goleiro como novo técnico do Fortaleza já se passaram mil dias a frente do seu atual time. A primeira passagem contou com 639 dias, e a segunda, após voltar do Cruzeiro para o Leão do Pici, foram 361 dias.

Anúncios

A caminhada de Rogério no Fortaleza tem chamado atenção de muita gente, porém, antes de atingir tudo o que conquistou, Ceni passou por alguns momentos de dificuldades.

Logo no começo de sua caminhada no Fortaleza, em 2018, Ceni era constantemente chamado de “burro” pelos torcedores. Sua equipe vinha deixando a desejar em alguns jogos do Campeonato Cearense. O ápice das reclamações veio após sua equipe perder os dois jogos da final do estadual daquele ano para o maior rival, Ceará. A torcida se dividia quanto a permanência do treinador no Leão do Pici. Alguns queriam demissão, e outros ainda acreditavam no trabalho do técnico. A diretoria do Tricolor decidiu manter Rogério, decisão essa que foi fundamental para o bom desfecho de temporada.

Após o conturbado estadual, veio aquela tão sonhada Série B. A desconfiança e o medo de voltar para uma Série C, lugar onde tentaram sair incessantemente durante oito anos, rondava a cabeça dos torcedores do Fortaleza. Porém, Rogério Ceni, juntamente com seus atletas e diretoria, trataram de logo conquistar a confiança do torcedor. A equipe teve um início de Série B avassalador, vencendo 7 dos 10 primeiros jogos disputados. Após um começo dos sonhos, a equipe soube manter uma regularidade, não a toa ficou a maioria das rodadas na liderança, vindo a ser o grande campeão da competição.

Anúncios

Após um ano de 2018 especial para os torcedores tricolores, apesar da perca do estadual, 2019 viria a ser ainda mais marcante para os leoninos. Diferente do seu primeiro ano com a camisa do Fortaleza, Rogério e sua equipe foram dominantes no estadual, sagrando-se o campeão daquela edição. Não satisfeitos, logo em seguida a equipe foi campeã pela primeira vez na história da Copa do Nordeste.

Depois de um bom começo de ano, viria o maior desafio para Rogério Ceni e seus comandados, a Série A. Logo na primeira partida, a equipe pôde ficar ciente do que teria pela frente. A equipe tricolor perdeu na estreia para o Palmeiras, pelo placar elástico de 4×0. Porém, os cearenses logo se recuperaram, após vencer o Athletico Paranaense por 2×1, na segunda rodada, diante da sua torcida.

Mesmo com constantes sondagens ao treinador Rogério Ceni, a vontade da diretoria da equipe era de que o profissional permanecesse no Fortaleza pelo menos até o final do ano, para assim não interromper um bom trabalho que vinha sendo feito naquela Série A, já que a equipe vinha tendo resultados dentro do planejado. Porém, em agosto, Ceni decidiu transferir-se para o Cruzeiro, clube onde permaneceria por apenas 47 dias, e acabaria retornando logo em seguida ao Leão do Pici, dando início a sua segunda passagem pelo clube cearense.

Anúncios

Após o seu retorno para o Fortaleza, sua equipe teve uma alta melhora de rendimento, terminando a competição com 14 jogos invictos. Com isso, o clube conseguiu terminar entre às dez melhores colocações do campeonato, e de cara conquistar uma classificação inédita para um torneio continental, Sul-Americana.

Em 2020, a equipe vem tendo momentos de altos e baixos. No começo do ano, o Fortaleza vinha tendo bom rendimento, e ficou próximo de eliminar o Independiente, na Sul-Americana. O Leão fez dois bons jogos, um na Argentina e outro no Brasil, mas por conta da regra de gol fora de casa, os cearenses acabaram sendo eliminados. Pouco tempo depois, houve a paralisação do futebol, devido a pandemia de Covid-19.

Quando o futebol retornou, o Fortaleza não voltou com o ritmo de antes da paralisação. O tricolor foi eliminado pelo maior rival na Copa do Nordeste, e não venceu nenhum dos três primeiros jogos do Brasileirão. Porém, Rogério conseguiu dar um ânimo novo para seus comandados, e com isso, ter novamente uma melhoria de rendimento, voltando assim a vencer no campeonato. Hoje a equipe está entre às oito melhores equipes da competição.

Até então, essa foi toda a caminhada de Rogério Ceni com a camisa do Fortaleza. Logo no fim semana, o treinador possui a chance de acrescentar mais um capítulo a essa duradoura história. O Leão do Pici viaja para São Paulo, onde enfrenta a equipe do Santos, pelo Campeonato Brasileiro.

Anúncios

2 comentários sobre “De ‘burro’ a ‘ídolo’: os mil dias de Rogério Ceni a frente do Fortaleza

  1. Rogério e um profissional dedicado por isso será sempre respeitado o vencer ou não faz parte da competição. Gostaria de ver ele no São Paulo mas tendo toda s libertasse de ação. E essa torcida de resultados pudesse dar a ele a change de trabalho.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s