“Precisávamos estabelecer um limite de comportamento para que ele respeite a nossa Instituição” declara presidente do Vitória sobre Vina

Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória

Mandatário do clube baiano lançou nota oficial no site do Rubro-Negro

Na última quarta-feira, 26, Vitória e Ceará se enfrentaram pelo jogo de volta da terceira fase da Copa do Brasil. O alvinegro levou a melhor vencendo, de virada, por 4 a 3. Entretanto, embora o jogo tenha sido agitado dentro de campo, o que marcou na partida foram os insultos e provocação do presidente do Esporte Clube Vitória, Paulo Carneiro, ao meio-campista Vina, do Vovô. Na ocasião, o mandatário interrompeu a entrevista coletiva do atleta alvinegro insultando o jogador e o provocando.

Anúncios

Em nota oficial, o presidente do Vitória buscou justificar o ocorrido, colocando como causador a arbitragem: “Não sei se atingimos o nosso objetivo, mas precisávamos chamar a atenção da comunidade esportiva brasileira dos prejuízos que temos experimentado com as graves falhas de arbitragem dos jogos contra o Náutico, anulação de um gol absolutamente legal de Léo Ceará; O pênalti, marcado irregularmente contra o CRB, falta fora da área e a “lambança” feita pelo árbitro Paulo Roberto Alves Júnior no jogo contra o Ceará que decidia uma importante passagem de fase, com premiação milionária. Com todo respeito que temos à Comissão de Arbitragem, ficamos sem entender qual o critério utilizado para escalação de um árbitro para um jogo de tamanha importância, quando há reclamações da performance desse árbitro em vários jogos, conforme registram os diversos canais de mídia esportiva”.

Sobre o jogador Vinicius, o Vina, o mandatário foi ainda mais duro, fazendo fortes declarações a respeito do atleta alvinegro: “Quanto ao Atleta Vinícius, precisávamos estabelecer um limite de comportamento para que ele respeite a nossa Instituição. Há dois anos esse atleta, se é que podemos chamá-lo assim, vem sendo pivô de uma série de manifestações que passaram por declarações contra as torcedoras rubro-negras, provocações e gestos obscenos. Em 2018, foi protagonista de uma briga generalizada com nove expulsões, cuja causa foi gestos obscenos contra a nossa torcida. E repetiu em outras partidas com o mesmo gesto desrespeitoso”.

Anúncios

Ao final da declaração, Paulo Carneiro, disse estar indignado com o ocorrido: “Portando, fica registrado aqui a nossa indignação pelo acontecido. Somos um Clube centenário, que sempre primou pela observância dos princípios éticos que norteiam a vida em sociedade, seja dentro ou fora de campo”.

O jogador Vina, já havia se pronunciado, através de sua assessorias em seu perfil no Instagram:

Deixe uma resposta