Opinião: Com saída de Edinho em 2020, estilo de jogo de Ceni sobrecarrega Romarinho

Foto: Júlio Caesar/O POVO

Romarinho foi um dos principais jogadores do Fortaleza na temporada de 2019.

Em 2019, Rogério Ceni trouxe como esquema de jogo pro Fortaleza, o 4-2-4, com os jogadores sabendo cada um a sua função. Do meio para frente Juninho e Felipe faziam o trabalho de contenção, destruir as jogadas do adversário e dar qualidade na saída de bola do Fortaleza. Os quatro jogadores mais avançados eram Osvaldo, Romarinho, Edinho e Wellington Paulista, algumas vezes o treinador abria mão do camisa 9, propondo um jogo menos vertical, escalando meias como Marlon. 

No esquema de Ceni, Romarinho jogava mais centralizado, com velocidade e habilidade, conseguia exercer uma função de muita importância no estilo agressivo que o Fortaleza tentava impor. Além de muitas vezes consegui acionar Edinho que pelo lado direito do ataque era o cara da profundidade e desafogo, com o diferencial de ser excelente no um contra um. Ter Edinho ao seu lado gerava no adversário uma dúvida que tornava o jogo do tricolor menos previsível e variado, contando com atuações regulares de Osvaldo que contribua bastante na criação. Todo esse mecanismo não tornava o trabalho de Romarinho vital para o funcionamento da equipe.

Anúncios

Com a condição atual de Osvaldo que se torna mais importante no jogo do Fortaleza próximo da área devido sua idade avançada, a opção por Edinho na maioria das jogadas era quase que inevitável, incisivo e driblador o atacante dividia as atenções das defesas com Romarinho. Sem um meia clássico no time, ter Edinho e Romarinho para puxar contra-ataque e serem acionados pela saída mais qualificada que Rogério Ceni entende ter com Juninho e Felipe. Era essencial para o funcionamento do Fortaleza.

Mesmo com deficiências na finalização, Edinho é o tipo de jogador que cria situações de gols e incomoda a defesa, o jogo de Romarinho pelo meio só era funcional porque o adversário via em Edinho uma potencial opção de passe e alguém que podia criar uma clara situação de gol, isso abria a marcação e gerava um corredor para Romarinho explorar sua principal característica que era carregar a bola.

Em 2020 com a saída de Edinho para o futebol da Coreia do Sul, o Fortaleza optou por trazer David para o setor, apesar de ter iniciado com boas atuações, o atacante revelado pelo Vitória/BA logo caiu de rendimento, hoje a sua titularidade só se justifica pelo alto investimento feito pelo clube.

Anúncios

Com a situação do lado direito do ataque indefinida, as ações ofensivas do Fortaleza ficaram bastante previsíveis, Osvaldo que não vem sendo regular como foi em 2019, também não tem contribuído muito pelo lado esquerdo na criação. Assim todas as jogadas precisam passar pelos pés de Romarinho que não tem por característica ser o cara do passe, precisa acelerar o jogo, porém sempre esbarra na marcação do time adversário, sem Edinho para dividir as atenções do adversário, e com o mau momento das opções pelos lados que entram nas partidas, vemos um time que pouco criou nas últimas partidas  e estar a três jogos sem marcar gols. 

A ausência de Edinho pelo lado torna o estilo de jogo de Ceni previsível e dependente de Romarinho. Sem consegui encontrar uma peça que faça o trabalho que Edinho fazia. O 4-2-4 pode estar com os dias contados no Fortaleza. Pelo atual cenário, levar Romarinho para a ponta direita e colocar Mariano Vázquez na meia seja uma opção que Ceni precise pensar para o futuro. O rendimento de Romarinho passa por ele ter companheiros que dividam o protagonismo do jogo. Com limitações principalmente no passe, ele não pode ser o cara do Fortaleza no Brasileirão. 

Anúncios

Deixe uma resposta