“Precisamos estar com mente revigorada” diz W. Paulista sobre volta do futebol

Foto: Aurélio Alves/O POVO

Um dos grandes nomes do ataque do tricolor, ressaltou a rotina em casa e a concentração para a volta das competições

Nesta quarta-feira, 1, o atacante Wellington Paulista concedeu entrevista e comentou sobre os treinos virtuais no período de isolamento, a volta das atividades presenciais no Fortaleza desde a primeira semana de junho e as dúvidas de como será o retorno aos campeonatos. O atleta ainda expressou seu desânimo pela ausência dos torcedores e como o time deve se impor dentro de campo.

“A receita do sucesso foi o companheirismo da gente. Sabemos que a disputa interna é bem acirrada aqui no Fortaleza e da capacidade de todo mundo. Entrar em campo, corresponder à altura e o Rogério Ceni, com o revezamento que ele faz, sabemos que nem todo o mundo tem a vaga garantida. Então temos que estar todos se desempenhando e mostrando o futebol a todo momento”, disse Wellington Paulista sobre o bom desempenho do clube em 2019.

Anúncios

Perguntado sobre o sistema de treinamentos virtuais, que os atletas passaram durante a paralisação por consequência da pandemia do novo coronavírus, e a volta dos treinos presenciais, liberados no começo de junho pelo Governo do Estado do Ceará, o atacante comentou:

“Estou fisicamente muito bem, não parei na pandemia, arrumei um campo de futebol, junto com o Osvaldo. Treinamos eu e o Osvaldo, juntos com o Éderson. Treinamos separados num campo de futebol na casa dele, então não paramos em nenhum momento. Só descansávamos no sábado e domingo, para que pudéssemos voltar. Não sabíamos quando íamos voltar, nem que íamos ficar tanto tempo parado. Então conseguimos continuar treinando muito bem, fisicamente bem, para que pudéssemos voltar bem. Com os treinos presenciais estamos conseguindo manter a forma física e não sentir tanto a parte física”, disse o atacante.

Anúncios

Ainda em entrevista, Wellington Paulista falou da ausência da torcida na retomada dos jogos: “Não tenho noção de como vai ser na hora que fizer um gol, não sei qual vai ser a emoção do momento. Sem torcida vai parecer um jogo amistoso. Vai depender muito da nossa motivação e isso o Rogério Ceni fala bastante. Do nosso interesse, do nosso querer e se motivar. Acho que o mais importante quando não tem torcida e é um campo fechado, ele torna-se um campo neutro. Depende muito da gente, como vamos nos motivar para o jogo. Então, acho que temos que já entrar concentrados, entrar motivado para que consiga suprir algumas ausências que vai haver no decorrer do jogo”.

Após desperdiçar a última cobrança de pênalti, o atacante enfatizou que o seu método na hora da batida não vai mudar.

“Só sei bater pênalti assim. Batia de outra forma, mudei, comecei bater dessa forma e nunca mudei. Não é porque perdi um pênalti que eu vou mudar a cobrança que me baseio. Eu sei porque eu perdi, internamente eu sei o porque perdi o pênalti. Então é concentrar um pouco mais, saber o que tenho que fazer na hora certa, para que eu consiga fazer o gol”, afirmou o atacante Tricolor.

“Vai ser complicado, porque começamos o ano sem saber onde termina ou quando termina. Esse ano se tivermos férias será de curto tempo. Vai ser parecido com a Europa, apenas Natal e Ano novo. Esse ano vai ser atípico. Sabemos que não vai ser igual como nos outros anos. Ficamos muito tempo parados e o calendário tem que se menor para que possamos jogar. Vão ter muitos campeonatos e jogos. Saber o que fazer, como jogar e como treinar, descansar e fazer a coisa certa para poder jogar esse ano todo e o ano que vem. Precisamos estar concentrados e descansar bem para juntar os dois ao mesmo tempo”.

Wellington Paulista terminou a entrevista deixando uma mensagem aos torcedores e falando da preparação dos companheiros e do grupo para a possível volta da Copa do Nordeste e o Campeonato Cearense.

“Quero deixar claro ao torcedor que estamos com a mesma motivação do ano passado, não mudamos. Até porque a saudade está maior. Estamos com a consciência bem tranquila, sabendo que os torcedores não estarão com a gente, mas sabemos que precisamos estar com a parte mental revigorada, para que nós possamos conseguir bons jogos e conquistar a vitória para os torcedores que vão estar assistindo de longe”, finalizou o atleta.

Deixe uma resposta