FC MEMÓRIA – Relembre a campanha que levou o Fortaleza a Série A de 2005

Foto: Divulgação

Tricolor conseguiu o acesso de alma lavada

O acesso em 2004 começa no ano anterior, em 2003, após o doloroso rebaixamento para a Série B. Na época, o Fortaleza precisava apenas do empate, mas acabou sendo derrotado e caiu para a Segunda Divisão. A equipe cearense encerrou sua participação no Brasileiro com 49 pontos, na penúltima colocação. O revés para a Ponte Preta, no Estádio Moisés Lucarelli, por 2 a 0, encerrou o sonho de permanecer na elite após o acesso em 2002.

Com uma mescla com jogadores locais e experientes, o Fortaleza foi para a Série B com um só pensamento: voltar à elite nacional. Só duas equipes conseguiriam acesso. 24 times disputariam e a primeira fase seria de todos contra todos. E a estreia não poderia ser melhor. Em casa, diante do CRB, vitória por 4 x 1, com gols de Rinaldo (2), Emerson e Juninho Goiano.

Fórmula de disputa

  • Primeira fase: Os 24 participantes jogam todos contra todos, em turno único. As 8 equipes que mais somarem pontos nessa etapa classificam-se para a segunda fase.
  • Segunda fase: Os 8 classificados são divididos em 2 grupos de 4 equipes. Todos se enfrentam em turno e returno. Os dois primeiros colocados de cada grupo passam para a fase final.
  • Fase final: Os 4 finalistas disputam um quadrangular em turno e returno. As duas equipes que mais pontuarem se qualificam para a Série A em 2005.

Jogos marcantes, batalhas e superação

Durante a primeira fase, grandes jogos marcaram a campanha tricolor. Um 5 a 4 de tirar o fôlego contra o Náutico, um acachapante 3 a 1 em cima do Santo André, recém campeão da Copa do Brasil, um 4 a 0 diante do América-MG e um 3 a 2 sobre a Portuguesa, no Canindé, além de um 2 a 2 no Clássico-Rei com Rinaldo marcando quase aos 50 do segundo tempo.

Ao final da primeira fase, o Fortaleza se classificou em quinto, com 39 pontos conquistados em onze vitórias, seis empates e seis derrotas. Foram 43 gols pró (segundo melhor ataque) e 29 gols contra.

Na frente do Leão, Brasiliense, Náutico, Bahia e Ituano foram os quatro primeiros. Marília, Avaí e Santa Cruz foram os outros classificados. Na segunda fase, o Fortaleza caiu no grupo A, com Brasiliense, Ituano e Santa Cruz.

Não foi só a terceira parte da competição que o Tricolor lutou contra a matemática. Nessa etapa, o Leão começou tropeçando e viu a classificação ameaçada. Estreou empatando em casa com o Ituano em 1 a 1 e perdeu duas seguidas fora de casa contra Brasiliense, por 2 a 0, e Santa Cruz, por 3 a 1.

Nos jogos de volta, o Leão não conseguiu vencer o time pernambucano no Castelão e só empatou em 1 a 1. No penúltimo jogo, um 3 a 0 em cima do Brasiliense com gols de Guaru, Juninho Cearense e Marcelo Lopes deram esperança para os cearenses.

O grupo era equilibrado. Na última rodada, o Ituano liderava com oito, seguido de Brasiliense, com sete, e Santa Cruz, com seis. Com cinco pontos, o Fortaleza era o último. Mas jogando em Itu, com gols de Mazinho Lima e Juninho Cearense, o Fortaleza pulou para o primeiro lugar pelo saldo de gols e se classificou nessa posição, com o Brasiliense, que empatara em casa com o Santa Cruz, em segundo. Na outra chave, Bahia e Avaí avançaram para se juntar a Fortaleza e Brasiliense.

Epopeia tricolor 

Na terceira e derradeira fase, o Fortaleza disputava o retorno a primeira divisão com o novo rico Brasiliense, o fortíssimo Bahia e o entrosado Avaí, mas o Tricolor contava com a força da sua torcida para bater de frente com os favoritos.

A estreia foi em Florianópolis, na Ressacada, contra o Avaí. Um 0 a 0 deu o primeiro ponto aos cearenses. No Junco, em Sobral, contra o Brasiliense, vitória por 1 x 0, com gol de Jean Carlo. Fora, novamente, a primeira derrota, para o Bahia, por 2 a 0.  No PV, contra o mesmo Bahia, empate por 1 x 1, com gol de Jean Carlo.

Faltando duas rodadas, o Fortaleza tinha cinco pontos, mesma pontuação de Avaí e Bahia. O Brasiliense liderava com seis. Fora de casa, o Fortaleza perdeu para o Brasiliense, que tinha o acesso garantido.

Na última rodada, o Avaí tinha oito pontos, estava em segundo e podia perder por até um gol de diferença para o mesmo Fortaleza, que em casa precisava vencer, além de torcer para que o Bahia não vencesse o já garantido Brasiliense.

Foi quando o dia 11 de dezembro de 2004 entrou para a eternidade tricolor. O Brasiliense derrotou o Bahia ao vencer por 3 a 2, em Salvador, e Tricolor Cearense venceu o Avaí por 2 a 0 e superou os 2% de chances que tinha de conseguir o acesso. Marcelo Lopes e Ronaldo Angelim marcaram gols do jogo.

O Fortaleza voltou a Série A de alma lavada e superando inúmeros percalços. Nessa série B, com 14 gols, Rinaldo acabou como artilheiro do torneio. Finazzi, com onze gols, também esteve entre aqueles que mais marcaram.

Deixe uma resposta